Gestão de barragens de rejeito será debatida no 9º CBMINA

Barragens de rejeitos são estruturas complexas e dinâmicas. Os desafios para gerir esses reservatórios serão debatidos ao longo da programação da 9º edição do Congresso Brasileiro de Minas a Céu Aberto e Minas Subterrâneas (CBMINA). O evento é promovido pelo Instituto Brasileiro de Mineração (IBRAM), em parceria com o Departamento de Engenharia de Minas da Universidade (DENIM) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), e será realizado entre os dias 1º e 3 de agosto em Belo Horizonte (MG).

Para Rafael Jabur, diretor de Gestão de Barragens e Resíduos da Yamana Gold, o grande desafio é entender os riscos e dedicar recursos adequados para estruturar o gerenciamento das barragens de acordo com as normas de segurança. Desde a promulgação da lei 12.334, que instituiu a política nacional de segurança de barragens em 2010, nota-se um movimento ascendente no País no que se refere a essa temática. “O Brasil possui legislação especifica para barragens e, em muitos casos, mais restritiva e completa quando comparada com outros países do mundo”, diz o executivo.

Do ponto de vista de gestão, ele acredita que as empresas têm se estruturado melhor nos últimos anos, tanto para a gestão dos riscos associados, como também para poder lidar com as exigências e requisitos da própria legislação brasileira. “Como muitas empresas que operam no Brasil são multinacionais, elas acabam por aplicar aqui os padrões exigidos em outros países”, afirma.

CBMINA
Local: Auditório da Escola de Engenharia da UFMG – Avenida Presidente Antônio Carlos, 6627 – Pampulha (MG)
Data: 1º a 3 de agosto de 2018
Mais informações e inscrições: http://portaldamineracao.com.br/cbmina/

Deixe uma resposta