Avanços significativos

Iniciando-se pelo lançamento de novas máquinas em 2012, John Chadwick,
da revista International Mining – IM, analisa as inovações em britagem e moagem

A Sandvik descreve o Vibrocone como a combinação do melhor da britagem convencional e os princípios de moagem para produzir uma “quantidade sem precedentes de produto finamente moído, possibilitando até 30% de economia de energia no processo mais adiante.”.MINExpo de setembro de 2012 viu alguns lançamentos significativos em cominuição. Sandvik Mining revelou o Vibrocone™ – um britador com desempenho de moagem, que segundo a empresa, “muda as regras de cominuição e permite maiores economias de energia”.

Antes do lançamento, o Vibrocone teve acima de 10.000 horas ininterruptas de operações industriais em mina de cobre, ouro e minério de ferro, a fim de provar a confiabilidade técnica e operacional.

O produto do britador Vibrocone abre a possibilidade de novas alternativas eficientes de cominuição, por exemplo, nos circuitos de cominuição existentes nos estágios de barras ou bolas, esses britadores podem substituir a moagem de barras que precede à de bolas.

Vibrocone CO 865 Sandvik

Um estudo de caso pela Ausenco de uma operação de 10 milhões t/ano de cobre na América do Sul mostrou que a solução Vibrocone é a opção com menor custo e dá economia de energia na faixa de 20 % em relação ao moinho SAG.

O novo britador de cone T900 da Telsmith oferece uma capacidade de saída de 550 a 2.100 t/h; e até 380 mm no tamanho de alimentação. Telsmith diz que “é dimensionado com o curso livre maior da classe, a maior força de britagem na classe, e possui potência de 662 KW”.

“No projeto do novo T900, a Telsmith coloca uma ênfase chave na segurança e capacidade de serviço”, diz Albert Van Mulle, Diretor de Engenharia da Telsmith. “Por exemplo, o circuito é projetado para permitir a passagem de qualquer material que não possa ser britado”, segundo ele.

Telsmith T900

Pelo tempo e custo de manutenção reduzida, o T900 é projetado com oito cilindros (versus 12 cilindros nos equipamentos concorrentes), e ainda oferece a maior força disponível de britagem, reivindica a Telsmith. A unidade também oferece uma característica melhorada anti-giro, pendente de patente, evitando o giro do cabeçote para aumentar a vida do aço. Como outros componentes chave, é montado na parte superior da máquina para oferecer o acesso do serviço pela parte superior. É projetado também para operar com óleo de lubrificação sob pressão ao eliminar o uso de caixa de engrenagens e circuito hidráulico separado.

Caracteriza-se pelo maior rolamento híbrido na classe, a ser patenteado. Diferente das máquinas com rolamento de roletes, estes grandes rolamentos oferecem tanto um empuxo de levantamento estativo como dinâmico – para suportar as forças de britagem. Os rolamentos híbridos também possuem um projeto de arruela e rampa substituindo o uso convencional de um soquete, um revestimento de soquete, e esfera do cabeçote – todos demorados para remoção n a manutenção da máquina.

Além disso, o T90 da Telsmith não usa nitrogênio e é projetado com um sistema de liberação patenteado, eliminando a necessidade de acumuladores hidráulicos que exigem manutenção intensiva. Existe um sistema de retenção (anel côncavo), consistindo de um anel labial que faz a retenção sem o uso de martelos e outras ferramentas manuais.

A Metso introduziu o C120 – britador de mandíbula, o 13º membro dos britadores da série C. O projeto novo, inicia-se com a fundição, cujo projeto é baseado em todas as análises e simulações de fundição da FEA. Cada detalhe do C120 é projetado para operação de vida longa.

“Ao iniciar o projeto C120, ouvimos muito nossos clientes e coletamos os dados de campo de diversos locais. Com base nisso, decidimos projetar a cavidade do britador e o mecanismo cinemático”, diz Ilkka Somero, gerente de Produto da Metso para britadores de mandíbula.

Uma inovação é o curso longo e direcionado agressivamente, e uma mandíbula fixa mais comprida do que já visto nessa classe de britador. O C120 possui uma grande abertura de alimentação de 1200 x 870 mm e uma cavidade com seção agressiva, proporcionando um alto desempenho e taxa de redução.

O C120 possui fácil instalação graças a seu projeto compacto, incluindo, por exemplo, um leito e proteções de motor integrados opcionais. Sendo bem balanceado, o C120 possui instalação rápida, com custo eficiente em toda a plataforma de montagem sobre borracha. Não é necessário qualquer suporte horizontal. O britador pode ser montado de formas diversas para se ajustar à instalação existente.

A proteção opcional de volante permite o acesso rápido e seguro aos pontos de serviço do C120 da Metso

A força nominal do C120 é 160 kW, com velocidade de operação de 230 RPM, e configuração lateral fechada de 70 e 200 mm. O peso operacional é de 26.000 kg, excluindo as opções.

Os britadores de mandíbula de alternância diferenciada da FLSmidth serão introduzidosnos próximos meses

A Sundvik, um empreiteiro de britagem finlandês, foi um dos primeiros usuários do C120. Após mais de 4.000 horas de operação e acima de 500.000 t. de material britado, esta empresa familiar considerou-a uma ferramenta confiável e produtiva. “A longa e bem projetada cavidade combinada com uma grande abertura de alimentação assegura uma produtividade firme e alta. Dentro de nossas operações, nunca desejamos picos curtos e altos, mas uma produção firme e contínua fornecendo resultados visíveis”, diz Stefan Sundvik, responsável pela empresa.

FLSmidth está lançando sua linha de britadores de mandíbula de alternância única, projetado especialmente para atender as minas pequenas a médias. A linha inclui cinco tamanhos diferentes com aberturas de 850- mm x 1.00 mm até o maior britador com abertura de 1.600 mm x 1.900 mm e capacidade de 100 até 1200 ton./h. Esses britadores de mandíbula possuem a mais moderna característica disponível e projetada para uma manutenção segura e fácil e durabilidade. A linha do britador está baseada em uma longa história de sucesso do britador de mandíbula com alternância dupla da Traylor. O britador é projetado para manusear os minérios cada vez mais duros em locais remotos, encontrados por muitos mineradores hoje. Isto é obtido ao emparelhar um movimento de britagem eficiente e uma estrutura modular robusta com um simples e durável, projeto com baixa manutenção.

Uma característica importante do projeto do britador FLSmidth é eliminar a preocupação com segurança e manutenção associada à ruptura da peça em muitos britadores no mercado atualmente, ao eliminar a necessidade dos trabalhadores de entrar no britador para substituir as placas quebradas. FLSmidth utiliza um pino de segurança para liberar o estresse moagem devido ao material não britado e pode ser substituído por uma única pessoa sem necessitar qualquer ferramenta especial.

Classificação

MMD diz que o aumento de interesse nos classificadores foi tendência na MINExpo, levando mais e mais fabricantes a incluírem os classificadores minerais na variedade de equipamento que oferecem.

Os classificadores e a marca MMD são sinônimos, e a empresa diz que continua “a dominar o mercado com classificadores minerais instalados em maior número do que todos os concorrentes combinados e com unidades com operações bem sucedidas, em materiais que [alguns] consideram muito duros e agressivos.”. MMD diz que seu sucesso com materiais ‘difíceis’ é devido a sua experiência em classificação, e por ser “único entre os fabricantes de classificadores no projeto e fabricação de suas próprias caixas de engrenagem para esta aplicação específica”.

O padrão atual oferecido inclui as caixas de engrenagens com taxa de redução até 80:1 e acionamento acima de 800 kW. Isto permite ao MMD “proporcionar o acionamento mais efetivo e confiável mesmo nas aplicações mais árduas”. O sucesso resultante levou a MMD a dobrar sua capacidade de fabricação global deste a MINExpo 2008 – abrindo novas fábricas na China e Inglaterra bem como uma significativa ampliação da fábrica da África do Sul.

A estação classificadora estática da MMD trabalhando em minério de ferro em Robe River, Austrália

A MMD diz que um dos melhores exemplos da capacidade de seu classificador MMD em materiais difíceis é o sucesso obtido no setor de minério de ferro. Aqui as recentes flutuações de preço e na demanda estão gerando atenção crescente do custo de produção.

Segundo a MMD, “tem sido obtida disponibilidade acima de 85 %. O consumo de energia, acima de 5.000 t/h, atinge a média abaixo de 0,3 kW/h”. Isto em uma aplicação reduzindo o total contido em ROM que atinge acima de 1.500 mm a um produto consistente nominal de 350 mm.

Muitas das unidades MMD fornecidas para as operações de minério de ferro foram entregues para os clientes na Austrália, mas também foram para produtores de minério de ferro no Brasil, América do Norte, África e Ásia.

Próximo nível da HPGR.

O HRC™, o último desenvolvimento da Metso em cominuição pretende levar a tecnologia de rolo de britagem de alta pressão (HPGR) até o próximo nível. A Metso possui diversas inovações chave para aumentar a produção e diminuir o custo total de operação.

O HRC é próprio para alta tonelagem, aplicações em rocha dura, e pode ser utilizada como um britador terciário, quaternário ou para processar seixos.

A estrutura em Arco patenteada da Metso cria uma configuração de intervalo plano através da largura dos pneus, limitando a torção que pode resultar em interrupção das operações da mina. Esta estrutura em Arco anti-torção também impede o dano às engrenagens do rolete (causadas pelo desalinhamento) que pode ocorrer com o projeto HPGR tradicional.

O HRC é ideal para altas tonelagens, aplicação para rochas duras e pode ser utilizado como britador terciário, quaternário ou de pebbles

Utilizado no lugar de chapas laterais por ação de mola, os flanges mantém o leito do material dentro da zona de moagem e impedem o material de desviar-se dos pneus. Isso possibilita uma maior capacidade do circuito e aumenta a eficiência de moagem. Além disso, ao impedir o material de desviar-se dos pneus, mantém-se uma pressão igual em toda a largura do pneu. Ao distribuir a pressão igualmente, a vida do pneu é maximizada para impedir um “efeito de banheira”, onde o centro do pneu desgasta mais rápido do que as bordas.

Victoria Herman, Gerente de Produto da HRC, observa que este projeto inovador é a resposta as crescente necessidades na indústria de mineração. “A eficiência da energia atraiu nossos clientes para a tecnologia HPGR por anos”, ela diz, “Mas (nosso conceito de projeto) aumenta a capacidade e eficiência de moagem – e isto as empresas de mineração estão sempre desejando melhorar”.

Outros benefícios observáveis do HRC informado pela Metso são:

– cilindros hidráulicos posicionados para criar um projeto compacto sem prejuízo da força de moagem.

– o compartimento de poeira minimiza a poeira e reduz o ruído.

– o transportador facilita a substituição segura e rápida de pneus.

– o funil de alimentação inclui os revestimentos projetados para uma vida longa.

– os pneus com cravos maximizam a vida ao formar uma camada autógena.

Atualmente diversas unidades HRC estão em operação mundialmente – com um total de 6.500 horas operacionais, incluindo acima de 3.800 horas em aplicação em rocha dura, na época da MINExpo de 2012. A máquina foi projetada para uso em diamante, minério de ferro, cobre ouro, platina e
diversos minerais industriais.

Moagem mais fina

A crescente complexidade e grãos moídos mais finos requeridos pelos depósitos disseminados massivos aumentaram a importância de moagem fina. É claro que a liberação mineral em partículas mais finas é uma parte critica para atingir graus aceitáveis de recuperação. Juntamente com isto, as economias de escala contínua a acionar a necessidade de capacidade crescente de remoagem através de maquinas de moagem fina maiores e mais eficientes.

O VXP da FLSmidth®é um moinho de agitação vertical projetado para uso em uma grande variedade de aplicações de moagem fina. O moinho é fabricado em uma variedade de tamanhos e pode ser configurada para diferentes requisitos de moagem. Os exemplos de um importante parâmetro de configuração do moinho inclui a velocidade, tamanho médio, carregamento médio, e densidade média. O meio de moagem em um moinho de bolas com agitação é o fator dominante para determinar o consumo de energia.

A FLSmidth lançou diversas iniciativas de moagem para reduzir o consumo de energia e melhorar a eficiência de moagem com o modelo VXP. Estas se valeram tanto da pesquisa como nos testes de campo, utilizando o equipamento de produção.

Os estudos de pesquisa realizados com o NSERC (Natural Sciences and Engineering Research Council of Canada) utilizando um moinho de laboratório VXP10 mostrou que a seleção do meio de moagem é uma parte critica da otimização do processo. Um estudo utilizando dois diferentes tipos de meio cerâmico (leve, 4,12 kg/litro, e pesado, 6,1 kg/litro) mostrou que o torque operacional (força) dependerá da densidade da “bola”. O efeito da densidade média no torque operacional dependerá se a carga do meio ou a massa do meio é usada como referência. A “bola” mais leve produziu um toque maior para uma adição de massa igual, mas um torque menor para o mesmo enchimento de volume em comparação com a “bola” pesada.

Este trabalho inicial está sendo ampliado atualmente no teste de campo utilizando o moinho de produção VXP2500 próxima a Bulawayo, Zimbábue. FLSmidth fornece o equipamento, os recursos de engenharia e a supervisão para o programa de otimização. Ao ser completado, o programa de pesquisa fornecerá condições operacionais otimizadas em termos de diâmetro do disco, velocidade do moinho e tipo do meio de moagem. Esses resultados do amplo programa de teste de campo foram incorporados à próxima geração do moinho VXP.

O VXP5000 oferece economia significativa em termos de investimento de capital e custos operacionais. O tamanho ampliado permite uma produção maior por unidade enquanto o projeto flexível permite que o moinho seja configurado para diversos tipos de materiais e tamanhos de alimentação. A customização dos parâmetros operacionais do moinho reduz os custos operacionais ao proporcionar níveis adequados de energia para a redução granulométrica.

M10.000 Isamill

Uma manutenção ágil foi garantida pela adição tanto de bombeamento do meio de moagem e os sistemas de manuseio do disco. O meio de moagem pode ser drenado com o envolvimento mínimo do operador. O ciclo normal de manutenção concentra-se então na parte inferior da instalação de moagem. Os discos de moagem podem ser trocados com segurança e rapidez por baixo da câmara de moagem. O sistema de manutenção do disco dá segurança ao operador ao apoiar o peso do componente e alinhar corretamente as partes para a instalação. Ao ser concluída a manutenção, as bombas permitem que usina seja alimentada de “bolas” sem necessitar de guindaste ou guincho.

O uso expandido de IsaMills™ da Xstrata Technology suportarão o aumento planejado na produção da Mina McArthur River, de zinco, da Xstrata (MRM), na Austrália, como parte de projeto de desenvolvimento da Fase 3. A gerente Geral da Xstrata Technology, Lindsay Clark, diz que a MRM é líder no uso da tecnologia IsaMill e o desenvolvimento contínuo de aplicações de moagem de material graúdo. “A tecnologia IsaMill possibilitou o processamento pela Xstrata Zinc de minérios moídos na gama de ultra finos na MRM”, explica Clark.

O projeto de desenvolvimento da fase 3 de MMR objetiva o aumento da capacidade de mineração de 2,5 milhões t até 5,5 milhões t/ano, na cava a céu aberto, produzindo uma média de 380.000 t/ano de zinco contido. A produção aumentará de 360.000 t/ano (base seca) para concentrado a granel a 800.000 t/ano.

Como parte da expansão, MRM encomendou duas IsaMills M 10.000 adicionais, para completar as oito unidades similares existentes, utilizadas tanto na moagem primária e como na remoagem na planta de processo.

IsaMills foram desenvolvidos para serem mais eficientes em energia do que outras tecnologias de moagem, e melhoram a recuperação de flotação devido à moagem por atrito inerte. As duas novas IsaMill M10.000 aumentarão a capacidade de moagem primaria na MRM ao moer de 150um até 45 um (P80). Levarão a MRM ter uma linda de dez IsaMills, seis M3000 e quatro M10.000, realizando uma faixa de moagem ultra fina, fina e grossa.

A Xstrata Technology fornecerá o IsaMills para o projeto, bem como seu exclusivo IsaCharger™ para adição controlada de meio cerâmico fino aos moinhos. Espera-se que sejam comissionadas no segundo semestre de 2013.

Britagem otimizada

Um exemplo recente do valor inerente na obtenção do circuito certo de britagem no início de um projeto vem da Lydian International. A SNC-Lavalin concluiu recentemente um estudo de circuito de britagem no projeto Amulsar, da Lydian, e entre as alternativas examinadas estava o britador maior e único. Este é um depósito de minério altamente sulfetado, a ser tratado por lixiviação, com reservas (CIM) provadas e prováveis de 2,29 milhões de onças de ouro, a 0,8/g/t e 3,989 milhões de onças de prata a 3,3 g/t.

Foi examinada a opção de utilizar uma taxa de processamento de 10 milhões t/ano desde o início das operações, como o cenário de produção base. A SNC-Lavalin avaliou, as implicações de custo de capital de um único britador giratório, em oposição a dois britadores de mandíbula instalados como no estudo de viabilidade original liberado em setembro de 2012. Dez britagens diferentes e de classificação foram avaliadas e comparadas. O estudo examinou diversos tamanhos e quantidade de equipamentos utilizados em cada um dos três estágios de britagem e classificação associado
s. A configuração preferida consistiu de um britador giratório primário, dois classificadores com deck duplo secundários, dois britadores de cone secundários, três classificadores de deck duplo terciários e três britadores de cone terciários. As vantagens do circuito de britagem revisado incluíram:

– um tamanho de alimentação máximo maior para o britador (giratório) primário, agora de 1.260 mm contra 700 mm antes, reduzindo o custo e o tempo de parada associado com o manuseio do material de tamanho acima desse limite na pilha de estocagem do ROM.

– um aumento na produção máxima, agora 1.800 t/h em comparação com 1.565 t/h, garante uma planta robusta com capacidade para produção maior para compensar as condições de inverno, assegurando a médio de produção anual de 10 milhões t/ano.

– a construção e comissionamento são concluídas no final do projeto sem interrupção no ano 3 da mina, para facilitar a instalação de uma segunda fase de circuito de britagem.

– uma instalação mais compacta resultando em tempo reduzido e custo associado com as obras das fundações.

Força de cominuição

ABB ganhou diversos contratos significativos no final de 2012. Na África do Sul, está renovando o sistema de acionamento (HPGR) de rolos de moagem de alta pressão. A mina Mogalakwena, da Anglo American Platinum, pretende aumentar a eficiência de moagem com o sistema (VSD) de acionamento de velocidade variável da ABB.

O escopo do fornecimento consiste de um sistema de acionamento HPGR, compreendendo dois motores de indução tipo gaiola de esquilo, dois conversores de frequência ACS1000 e dois transformadores conversores. O contrato inclui também um motor de reserva e transformadores, bem como a supervisão da empresa para a instalação e comissionamento. Esta é a primeira aplicação da ABB na otimização de um sistema de acionamento HPGR, trocando-se o acionamento existente de velocidade fixa pelo sistema VSD.

Lydian International espera economia significativa ao otimizar o projeto Amulsar

ABB diz que seu VSD possui um longo registro de “melhorias no desempenho e fronteiras técnicas ampliadas de HPGR para o processamento de rocha dura”. Além de possibilitar a velocidade operacional ótima para roletes de moagem, fornecem o compartilhamento exato da carga entre os rolos. A velocidade variável dos roletes ajusta o HPGR às condições atuais de moagem, e às propriedades dos respetivos minérios, dando resultados ótimos de moagem.

ABB também fornece os sistemas de acionamento para a nova usina de moagem de minério no projeto de expansão da mina de ouro Hycroft, da Allied Nevada Gold. O projeto é parte de uma expansão total de US$ 1,2 bilhão que deve triplicar a recuperação da planta e a taxa de produção de ouro e prata em 2015.

A empresa fornece os sistemas de acionamento para as usinas bem como a gestão de engenharia e projeto. A ABB entregará cinco sistemas de acionamento de baixa velocidade com pinhões duplos (2 x 9 MW) para dois moinhos de esfera SAG de 36’ e três de 26, e um sistema de acionamento de baixa velocidade de pinhão duplo (2 x 5-5 MW) para a planta de remoagem. Os sistemas de acionamento compreendem os transformadores, conversores de frequência, motores síncronos, controle avançado da planta, operações e características de manutenção para o RMD de pinhão duplo.

O sistema inovador de acionamento de moinho com pinhão duplo auxilia a reduzir do desgaste mecânico nas plantas com engrenagem de anel, reduzindo o tempo de parada e reparos. A operação é necessária em baixa velocidade com motores acionando os pinhões diretamente, sem caixas de engrenagens. A solução também eleva a produtividade do processo.

Três sistemas de acionamento de moinho de alta velocidade, com pinhão único, são destinados para o projeto Greenfield de minério de ferro da Western Range, na Libéria. Esta mina a céu aberto, de propriedade de ArcelorMittal, está localizada próxima a Yekepa, uma cidade mineira no norte de Libéria, próximo à fronteira com a Guiné.

O contrato inclui três motores de indução com gaiola de esquilo de 7-4 MW, conversores de frequência ACS6000 com controlador para moinho e instalações de diagnostico remoto, transformadores, gabinete de voltagem média, unidades resfriadoras e engenharia do sistema, para três moinhos SAG com 30’ de diâmetro.

Esses acionamentos de moinho com anel e velocidade variável (RMD) são projetadas para operação crítica, com vida longa e baixa manutenção. A tecnologia otimiza o processo de moagem, tornando-o ideal para minérios com propriedades de moagem variadas. Além da alta eficiência do sistema, disponibilidade e confiabilidade no processo, um acionamento com velocidade variável também fornece economia significativa em energia e custo operacional, utilizando menos eletricidade do que um acionamento de velocidade fixa convencional.

O contrato foi assinado em maio de 2012 pela CITIC Heavy Industries, um fornecedor de planta de moagem, e britadores. As estregas estão programadas para meados de 2013.

A divisão de Conversor de Força da GE fornece a tecnologia de acionamento Quadramatic™ para o Grupo México, na expansão de sua mineração de cobre Buenavista (anteriormente conhecida como Cananea), no estado de Sonora. A GE diz que “é o maior moinho de bolas na América Latina”.

O Grupo México utilizará a tecnologia de motor síncrono avançado da GE para gerar 84 MW de força para seis moinhos de bolas em Buenavista. Os motores Quadramatic operam com velocidades fixas com perdas mínimas do sistema.

A Buenavista produz acima de 164.000 t/ano de cobre. “Selecionamos a tecnologia do motor Quadramatic da GE para aumentar a produção”, disse Manuel Telelz, Diretor de Compras Corporativas, Grupo México. A GE fornecerá seis sistemas Quadramatic de 14 MW, cada um consistindo de dois motores (LSS) síncronos de baixa velocidade e um acionamento, um motor reserva LSS e os serviços de instalação e comissionamento.

A operação comercial do equipamento terá diversas fases, iniciando em meados de 2013. A empresa trabalha com o Grupo México na ampliação deste abril de 2010. Anteriormente, forneceu à empresa 11 motores LSS entre 1982 e 1987. A GE forneceu também os motores integrados na roda para locomotivas da mina.

Outra divisão da GE, forneceu sua soluçã
o de monitoramento e diagnóstico remoto Proficy® e MaxxMine™, como uma ferramenta de gestão em circuitos de cominuição

“A solução fornece os benefícios de produtividade quantificados com base em tecnologia provada, monitorando acima de 4000 ativos desde nosso centro de monitoramento e diagnóstico remoto em Chicago”, disse Derick Moolman, Líder do Segmento de Mineração, Plataforma Inteligente, da GE. “Nossos clientes informam que o investimento se paga de seis a 12 meses – e acima de 95% renova suas assinaturas do serviço a cada ano.”.

Para estabilizar e otimizar o circuito de moagem, a Proficy MaxxMine calcula os pontos ótimos. Ao mesmo tempo, fornece a detecção de anomalia em tempo real e o diagnóstico aumenta a disponibilidade do ativo e reduz os custos de manutenção. Monitora a bomba do poço, motor elétrico, e caixa de engrenagem, para maximizar a vida do revestimento do moinho. “Portanto,” A GE declara, “o software pode melhorar o resultado em até 10 % dentro dos limites de qualidade de moagem ao minimizar o consumo de energia específica.”

David Brown é outra empresa com grande linha em acionamento de usinas e nos últimos anos esta adotou um enfoque mais global de mercado para seus produtos. A nova série de acionamento de correia CX é o primeiro novo produto nesta nova política . David Brown possui a capacidade para fabricar sistemas completos acionamento de moinhos embreagens abertas até 14 m de diâmetro. Fabrica as engrenagens, combinando tempos menores de entrega com qualidade de projeto de precisão, e o tradicional aço usinado e engrenagens de ferro dúctil onde a força e a integridade são essenciais. Por exemplo, a empresa possui tradição em coroa dentada. Na Austrália pode-se fabricar coroa dentada até 9 m de diâmetro; na África do Sul, até 14 m, com capacidade adicional de 6 m, tanto no Canada como China, mais a fabricação de pinhão carborizado em todas suas fábricas globais. As capacidades foram também ampliadas pela atualização significativa do CNC em suas maiores máquinas.

O Grupo Zest WEB comissionou uma variedade de equipamentos no projeto de mineração de diamante a céu aberto AK06 da Boteti Mining, controlada pela Lucara Diamond, em Botswana em prazo recorde, na execução de um contrato em regime EPCM. O equipamento elétrico foi fornecido na forma de pacote, e foi concluído seis semanas antes do prazo.

O projeto de US$ 130 milhões da AK0-6 Boteti consiste na construção de planta de processamento que será expandido de 2,5 a 4 milhões t/ano após quatro anos. “As soluções integradas fornecidas são projetadas por encomenda para o projeto e nossas equipes estavam muito envolvidas no processo de engenharia de aplicação com DRA”, disse David Claarssen do Grupo Zest WEG. “Aproveitamos as sinergias entre os produtos técnicos oferecidos pelo Grupo Zest WEG para dar uma solução garantindo a força critica para a planta a qualquer momento”.

O contrato incluiu o fornecimento de pacote para moinho com voltagem média compreendendo uma máquina de gaiola de esquilo de 4 MW 3,3 kV, completa com transformador de troca de fase, e 12 VSD de pulso MVW01. Claassen comenta que um dos principais benefícios desta aplicação é a eficiência de 99% no VSD atingido pelo uso de IGBTs de alta voltagem. A tecnologia VSD é também muito confiável e utiliza componentes de vida longa. A tecnologia VSD permite a programação e operação pela equipe com qualificações elétricas normais. O conhecimento especializado não é um pré-requisito. A WEG também projetou o sistema para uma fácil manutenção. As ramificações de força são um fator chave de projeto, sendo facilmente removidos e substituídos em minutos.

A WEG desenvolveu uma proteção de carga “congelada” específica para as aplicações em moinhos, onde o torque e a rotação angular são monitorados, permitindo a detecção de cargas “congeladas” na usina. Neste caso, a planta desconecta-se e alerta o operador antes de ocorrer danos.

O maior contrato incluiu o fornecimento de nove subestações em miniatura incorporando Unidades Principais Lucy Ring (RMUs), que são distribuídos somente pelo Grupo Zest WEG. As mini estações variam de 200 a 1250 kVa, com voltagens de 11 kV/ 550 /420 VCA. Quatro RMUs Lucy totalmente extensíveis também foram fornecidas como unidades isoladas externas. A gama de Lucy Sabre é fornecida padrão na configuração IP54, e é uma unidade muito robusta adequada para aplicações em mineração e uso externo. “As mini subestações não fazem parte de nosso escopo tradicional de fornecimento, mas foram adequados nesta aplicação, devido a sua sinergia com o RMUs Lucy, a capacidade de intercambio de peças de reposição entre as RMUs e a homogeneidade de reles e programas”, disse Claassen.

Zest WEG forneceu também motores elétricos de baixa voltagem (LV) e VSDs. Todos os painéis VSD independentes foram projetadas, construídas, testadas e comissionadas pela empresa, que garantiu os cálculos de aquecimento e ventilação críticos para requisitos de operação em longo prazo. Os motores LV pertencem às últimas gerações das unidades IE2 W22 trifásicas, em conformidade com as especificações de eficiência IEC 600343-30.

Além disso, uma planta de gerador de energia de reserva foi fornecida para AK06, incluindo dois geradoresin containersde 650 kVa, com sincronização total, projetado pela empresa do Grupo Zest WEG, IMS Cape. Esta foi uma aplicação não padrão e complexa onde os geradores foram sincronizados com duas entradas e um acoplador de barramento. Todo este sistema de controle foi projetado e implementado pela IMS Cape.

“O fornecimento de uma combinação de pacotes nos permite oferecer a nossos clientes o beneficio financeiro de recursos compartilhados”, diz Claassen, “mas o principal valor está na assistência técnica que nossa equipe pode fornecer como uma equipe menor e integrada. De fator, uma empresa é responsável pelo comissionamento e questões técnicas. Isto é uma tendência definitiva no mercado, que perseguimos, e reflete nossa estratégia para adicionar valor ao integrar as empresas do Grupo Zest WEG onde os produtos e serviços são complementares”.

Curva de relação entre consumo de energia e tamanho das partículas

Enquanto a tecnologia de acionamento MV atualmente vai até 6 MW, Claassen diz que está planejada a liberação
de módulos com força maior. A pesquisa e desenvolvimento também resultou no lançamento de um novo dispositivo de partida suave, com faixa de corrente de 180 – 360A.

Moagem assistida por jigue

Gekko diz “um alvo claro para um processo eco-eficiente é a recuperação de minerais no tamanho que eles se liberam do minério hospedeiro. As diferentes tecnologias de separação física podem ser aplicadas para recuperar minerais em seu tamanho de liberação mineral ideal”. O gráfico abaixo, apresentado por Greg Robinson, CEO da Newcrest, delineia como diferentes tipos de tecnologia ajustam-se e são complementares em termos de recuperação de partícula e como a separação em tamanhos de partículas grossas utiliza menos energia. As técnicas de separação física inclui os classificadores de minério, seleção, flotação, recuperação magnética e por gravidade.

O jigue sob Pressão Inline da Gekkos (IPJ) possui a vantagem de usar pouca água (relativo aos jigues convencionais) e baixo consumo de energia combinados com a separação contínua por gravidade.

O conceito de circuitos de “Moagem assistida por Jigue” (JAG) foi desenvolvido pela equipe técnica da Gekko, e utiliza o IPJ para operar em carga de recirculação, ou recuperação de mineral grosso,no circuito de moagem assim que é liberado. No exemplo anterior, impede o acúmulo de material sem valor grosso e duro no moinho e possui um efeito positivo na produção e consumo de energia no circuito de moagem. A Gekko diz que os benefícios dos circuitos JAG incluem menor consumo de energia, cianeto, tempo de residência e oxigênio. Melhora a recupera&

Deixe uma resposta