Schneider Electric planeja investir 500 milhões em startups

A Schneider Electric vai destinar 500 milhões de euros a empresas emergentes nos próximos cinco anos

A Schneider Electric, líder global na transformação digital em gestão da energia elétrica e automação, conclui hoje, em Barcelona, o Innovation Summit, o encontro internacional de referência no qual partilha as últimas tendências, desafios e oportunidades para potencializar e digitalizar a economia. O Grupo aproveitou o evento deste ano para deixar claro o seu compromisso com as startups e outros projetos disruptivos.

Emannuel Lagarrigue, Chief Innovation Officer da Schneider Electric, partilhou a sua experiência na hora de abraçar a inovação, por meio de encontros com empresas emergentes, organizações e fundos de capital de risco, com a finalidade de beneficiar todo o ecossistema energético. “Incubamos empresas e fomentamos uma cultura de co-inovação; acreditamos que estes esforços de colaboração vão fortalecer o nosso negócio, para nos assegurarmos que continuamos na vanguarda tecnológica, agora e no futuro. Além disso, queremos levar o setor para um modelo descarbonizado e digitalizado”, expôs o executivo, durante um painel dedicado ao tema ‘Innovation at the Edge’ da Schneider Electric.

O plano inclui várias das apostas da multinacional francesa para inovar nas suas diferentes linhas de negócio: “A tecnologia é um meio, um facilitador, para um novo modelo de negócio, que é tão importante quanto a tecnologia, por si só,” assegurou Lagarrigue.

Com o objetivo de resolver novos problemas dos clientes, a empresa procura ideias disruptivas e pessoas com talento para investir seu capital, experiência e acesso à indústria. Desta forma, o grupo planeja investir 500 milhões de euros em startups nos próximos cinco anos, podendo assim participar do nascimento de uma startup com contribuições entre os 500.000 e um milhão de euros, ou em rodadas de investimentos de Série A entre três e cinco milhões de euros.

Prioridade aos investimentos na Europa em 2020

A Schneider Electric vai priorizar seus investimentos na Europa em 2020. Atualmente, a empresa colabora com a Submer, uma startup de Barcelona que desenvolveu um líquido de refrigeração para os equipamentos informáticos dos Data Centers; e também com a Enigmedia, de origem basca, especializada em cibersegurança, encriptação e proteção de redes de infraestruturas, indústria 4.0 e edifícios inteligentes. A empresa colabora com 85 startups em todo o mundo e está em contacto com cerca de 5.000 empreendedores.

Globalmente, a Schneider Electric fez mais de 100 investimentos em empresas inovadoras, como a Volta, que oferece carregamentos gratuitos a veículos elétricos, em troca de publicidade digital nas suas estações. Recentemente, o grupo também entrou no capital de empresas como a Autogrid, Synapticon e DST por meio do seu veículo de investimento, com o qual contribui para a sustentabilidade e eficiência energética.

A Schneider Electric trabalha com cinco incubadoras, com as quais ajudou a criar três empresas, e tem já outras em vista. A empresa dispõe também de uma joint venture (AlphaStruxure), com o grupo de capital privado Carlyle, focada na construção de infraestruturas inteligentes e na utilização de energia renovável por meio de microgrids.

O encontro internacional Innovation Summit Barcelona, da Schneider Electric, analisou a forma como a transição energética e as novas tecnologias estão mudando a gestão da energia; como a sustentabilidade está afetando os investimentos e as estratégias de negócio; e aprofundou tendências como IoT, inteligência artificial, casas conectadas/inteligentes, serviços digitais e cibersegurança.

FONTE: Porto Gente

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *