Programa de análise de falhas elimina gargalos

Economia obtida no Complexo Itabirito, da Vale, totaliza mais de R$ 5 milhões

A Vale realizou em 2012 em sua operação de extração de minério de ferro de Galinheiro e Sapecado, em Itabirito (MG), o Programa de Análise de Falha e Recuperação da Disponibilidade Física das britagens primárias e peneiramento primário, sob a coordenação de Luiz Orione Gomes Júnior, chefe de Manutenção, e de Welbert Oliveira Alves, engenheiro de Manutenção da mineradora (mais equipe de apoio de manutenção*), que explicam os resultados obtidos em um trabalho técnico sobre o tema.

Até maio de 2012, a disponibilidade física (DF) era insuficiente ao plano produtivo estabelecido pela Vale. Após Junho de 2012, com a implementação do programa de análise de falha, a empresa observou um aumento significativo da DF e uma queda acentuada das análises de falhas.

Foram feitas melhorias operacionais no pátio de empilhamento que incluíram otimizações na condição limitadora de vazão de material para 032-TC-14, que acarretava o entupimento do chute, fazendo-se necessária a limpeza operacional, limitando a taxa de alimentação do peneiramento primário e, principalmente, impedindo a geração de pilha no empilhamento (pátio). As melhorias incluíram alterações laterais dos chute de descarga para 032-TC-14 (alimentaçãoby passpara ITM-I) e 032-TC-13 (empilhamento – pátio), aumentando a área útil e o ângulo para escoamento de material.

Houve aumento da taxa de empilhamento de 2000 t/h para 3200 t/h (aumento de produção 62,50%). O custo orçado para alteração do sistema foi inicialmente de R$ 3 milhões; no entanto, o gasto realizado foi zero (apenas mão de obra para o serviço).

As otimizações operacionais na SBM Galinheiro abrangeram a instalação de nova chapa estrutural na lateral direita (espelho) do alimentador vibratório, eliminando a propagação das trincas, aumento da confiabilidade do sistema e melhora estrutural com a maior resistência mecânica. O custo orçado para substituições dos alimentadores vibratórios foi de R$ 450.000 cada, num total de R$ 1,8 milhão, mas, novamente, houve gasto zero (apenas mão de obra para serviço e chapas de aço disponíveis no estoque).

Foram feitas otimizações na SBM Galinheiro

Na SBM Galinheiro e Sapecado foram instalados novos sistemas de dosagem de alimentação (pneus de sucata), evitando sobrecarga e entupimento do britador. O objetivo foi a melhoria na alimentação para o britador (uniformização), evitando sobrecarga do britador primário de mandíbula C110 e entupimento por rochas devido ao grande volume de descarga de material para a câmara de britagem.

Para instalação de sistema de limitação de alimentação, o custo orçado foi de R$ 500.000; mais uma vez, o gasto foi zero (apenas mão de obra e pneus sucateados disponíveis em estoque).

Galinheiro e Sapecado instalaram novos sistemas de dosagem de alimentação

*Equipe de apoio de manutenção: Itamar José da Rocha; Reginaldo José Braga; Marcio Antônio dos Reis; Luiz Flavio do Carmo; Sérgio César; Sérgio Aires Morais; João Paulo Teixeira; Douglas Edgar; Alan Silvério; Maxsuel Santos; Nilton Maciel; Deilson Barbosa; Luciano Martins Cezario; Hélio Moreira Pinto; José Geraldo; Wendell Dionizio; Denis Machado; Sabrina Barçante; João Paulo da Costa; e Wesley Ryan.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *