Extração de esmeraldas em Goiás aguarda 54 licenças ambientais; Campos Verdes projeta 2 mil empregos

A liberação de 54 licenças ambientais para a área de mineração do município de Campos Verdes pode levar a R$186 milhões de investimentos. A cidade é produtora de esmeraldas que são comercializadas no Brasil e exportadas para vários países. A secretária do Meio Ambiente do governo de Ronaldo Caiado, Andréia Vulcanis, esteve no município para conhecer a produção de perto.

A visita ao município integra o esforço promovido pela titular do meio ambiente de Goiás de conhecer os mais diversos setores produtivos do Estado para elaborar o regulamento da nova lei de licenciamento ambiental e dinamizar os processos referentes às emissões de licenças.

“Viemos aqui para entender as dinâmicas produtivas, estabelecer um contato real com os empreendedores para saber das dificuldades, orientar quanto à lei e criar uma relação de confiança entre a Semad e o setor de mineração de Campos Verdes”, diz a secretária.

O prefeito Haroldo Naves agradeceu o empenho da equipe da Semad presente no município e fez um panorama da importância das licenças para a economia da região.

“Campos Verdes já teve uma população de mais de 16 mil habitantes, mas a exploração das esmeraldas está praticamente paralisada, atualmente. Nós estimamos que o município esteja localizado sobre uma jazida de mais de US$ 5 bilhões (mais de R$ 21 bilhões em cotação atual)”, aponta.

“Com a retomada das atividades, podemos gerar cerca de 2 mil empregos no curto e médio prazos na região, por isso a visita da secretária tem sentido histórico”, completa.

A secretária Andréa Vulcanis vistoriou, pela manhã, uma das minas licenciadas no município e conheceu projetos sustentáveis de utilização de rejeitos minerais na construção civil. Segundo ela, outros projetos do tipo estão em planejamento e demonstram que Goiás tem potencial para se tornar um celeiro de sustentabilidade no Brasil.

“Desde o princípio deixamos claro que queremos consciência dos empreendedores. Preservação também é dinheiro e foi o que vimos aqui, com um projeto que transforma rejeito em material de construção”, disse ela. “Meio ambiente não é inimigo da produção. Quando caminham juntos, temos benefícios inimagináveis, é um horizonte ainda pouco explorado e com mercado amplo”, pontua.

Haroldo Naves destaca as iniciativas da Semad desde o início da gestão do governador Ronaldo Caiado. “A secretária veio para Goiás para reposicionar a gestão ambiental do Estado. Isso será decisivo para a economia dos municípios”, garante ele. Segundo o prefeito, o setor ainda trabalha, juntamente com a Assembleia Legislativa, uma redução tributária de 17% para 5% como forma de incentivar a produção e a competitividade dos produtos goianos no mercado nacional e mundial.

FONTE: DIÁRIO DE GOIÁS


Deixe uma resposta