Daiane dos Santos é Eletricista Industrial.

“Olá, eu me chamo Daiane dos Santos Oliveira, tenho 23 anos, sou baiana, mãe de um garotinho e Eletricista Industrial. É isso mesmo, Eletricista.

Já me acostumei com a cara de estranheza das pessoas ao ouvirem isso. De fato, não é muito comum ver mulheres atuando na área industrial de uma mineração, muito menos no setor de manutenção elétrica, mas esse quadro está mudando. Cada vez mais mulheres se interessam pelo vasto e encantador mundo da mineração, seja no processo, operação ou manutenção.

Enfim, a 5 anos atrás a profissão me escolheu, através de um projeto da mineradora Vanádio de Maracás e tive a oportunidade de conhecer, estudar e começar a trabalhar na mineração. Cheguei aqui pouco tempo depois do “startup”. No início tudo novo, muitas dúvidas, medos, medos comuns para uma jovem de 19 anos que nunca pensou em atuar nessa área e ali estava numa equipe composta por sua maioria homens.

Eu era apenas uma menina inexperiente em um mundo completamente desconhecido. Isso me deixava insegura e me perguntava “será que estou no lugar certo”. Não demorou muito pra eu responder a mim mesma, que sim, amo o que faço e sou grata pela oportunidade que me foi dada, pela paciência e por terem me ensinado a trabalhar sempre com destreza, excelência e segurança.

O fato de eu ser mulher não me diminui. Sempre contei e conto com o apoio e respeito dos meus colegas, da empresa em que trabalho e da minha família.Tudo isso mais minha força de vontade em aprender e crescer profissionalmente me fizeram a profissional que sou hoje.

Nem sempre as coisas são fáceis. Tenho uma rotina cansativa, saio de casa as 6:30 da manhã e só retorno às 18:00, de segunda à sexta-feira. Estou perdendo a melhor fase do meu filho que tem apenas 10 meses. Isso me dói um pouco mas é gratificante ver o sorriso dele ao me ver chegar. Sei que não é por mim, mas sim por ele que preciso sair todos os dias de casa e dar o meu melhor.

Assim como eu, sei que muitas mulheres passam pela mesma situação ou até pior, contudo, não descemos do salto, não deixamos a peteca cair. Trabalhamos fora de casa, em casa, cuidamos dos filhos, esposo, família, e ainda damos conta dos dias de tpm…ufa!”

A MULHER nunca foi nem nunca será o sexo frágil. #mulheresnamineracao

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *