Preocupação com tratamento dos rejeitos aumentou

A indústria mineradora é frequentemente desafiada pelos aspectos relacionados ao uso de água e energia. As principais inovações tecnológicas na área de separação sólido/líquido estão orientadas a melhorar a eficiência e a sustentabilidade do processo e responder a essas demandas. A linha Rheomax®, da Basf, contém uma gama de especialidades químicas para processos de separação sólido/líquido e para o processo de gestão e deposição de rejeitos, chamados de modificadores de reologia. Segundo o fabricante, esta linha oferece um desempenho de floculação superior em comparação aos floculantes convencionais. Seus benefícios incluem a minimização do consumo de água, maximização da recuperação de água de processo, reduzindo a área de terra consumida por rejeitos e minimizando os custos e o tempo necessário para reabilitar essas terras. Rheomax® é adequado para utilização no processamento de minerais metálicos e não metálicos.

O rompimento da barragem da Samarco afetou a procura por produtos e serviços para lidar com os rejeitos. “Sim, há um aumento na procura da tecnologia, mas ainda é tímida e somente em alguns casos específicos onde a situação é mais crítica. A tecnologia Rheomax ETD acelera muito a liberação da água dos rejeitos, possibilitando envio de maior teor de sólidos para as barragens e reaproveitamento da água que volta para o processo do cliente com boa qualidade. Adicionalmente, e pelo fato de aumentar o teor de sólidos, poderá também contribuir para ampliar a vida útil da barragem. Esta tecnologia sempre deve ser analisada em conjunto com o cliente, especialmente com a área de geotecnia, pois os rejeitos são muito particulares a cada mina e poderá ter comportamentos futuros diferentes após deposição na barragem”, ressalta Wilson Modesto, gerente Comercial de Soluções para Mineração da Basf.

Fonte: Revista Minérios & Minerales

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *