Após fechamento da Sama, mineradora anuncia empreendimento de US$ 150 mi em Minaçu

Empresa deve gerar mais de 2 mil empregos diretos e indiretos

Com investimentos de US$ 150 milhões, a Mineradora Serra Verde irá explorar o concentrado terras raras, mineral utilizado em produtos de alta tecnologia, no município de Minaçu. O empreendimento deve gerar, durante os 18 meses de implantação, 1,5 mil empregos diretos e outros seis mil indiretos. Após a implantação, a empresa deve gerar 360 empregos diretos e 1,8 mil indiretos.

O investimento  foi comemorado pelo prefeito do município, Zilmar Duarte, por vereadores e lideranças da cidade. “É uma luz no fim do túnel para a cidade. Nós estamos em um momento crítico com o fechamento da Sama, com o desemprego. A vinda da Serra Verde supre a demanda de emprego e, posteriormente, provocará uma mudança no planejamento econômico de Minaçu que tem uma mineração pujante, que sempre foi sua tradição”, destacou Zilmar.

Licença

O anúncio da instalação ocorre após o governo estadual, por meio da Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Semad), garantir a liberação, até o final dessa semana, da licença ambiental da Mineração Serra Verde. Desde 2013 a empresa estava com o pedido de licença, mas nunca tinha obtido uma resposta. A previsão era que mineradora entrasse em operação em 2017, o que não ocorreu.

“Minaçu vai respirar tranquilidade por muitos anos. Não vou recuar desse propósito de estender as mãos para quem está desempregado. Sei da relevância daquela cidade e cabe ao governo, mesmo passando por todas as dificuldades que todos sabem muito bem, não economizar um milímetro para poder superar as dificuldades, dar a volta por cima, para que possamos dar tranquilidade ao povo de Minaçu”, destacou Caiado.

Segundo a secretária de Meio Ambiente, Andréa Vulcanis, no início do ano, sua equipe fez uma força tarefa para analisar os pedidos de licenças ambientais e, desde então, a pasta tem avaliado todos os processos, entre eles o da Serra Verde. “Pedimos complementações de caráter técnico e a empresa nos entregou as respostas necessárias para garantir a instalação com segurança técnica e jurídica. Estamos dedicados a entregar isso porque sabemos o quanto é importante para o município”, reforçou Vulcanis.

Exploração de Terras Raras

Antes do investimento para a implantação do empreendimento, a mineração Serra Verde já aplicou em Minaçu mais de US$ 70 milhões em pesquisa sobre os minerais presentes na região. Após as obras, a empresa irá explorar o concentrado terras raras, composto de 17 elementos químicos que pode ser utilizado em várias aplicações: produção de ímãs de alta potência (usados na geração de energia limpa, como turbinas eólicas e carros elétricos), catalisadores na indústria de petróleo, equipamentos médicos (ressonância magnética), lasers médicos, produção de luminescentes para a indústria óptica eletrônica e fabricação de supercondutores.

Segundo o presidente da empresa, Luciano Borges, há preferência para a contratação de mão de obra local, tanto na fase de implantação quanto na de operação. Além de beneficiar a economia do município que contará com cerca de R$ 1,5 milhão circulando em salários dos trabalhadores, a Serra Verde deve gerar entre R$28 e R$32 milhões em receitas fiscais (impostos).

Borges também lembrou que Goiás está sendo pioneiro na exploração de terras raras ecologicamente sustentável. Segundo ele, Minaçu tem um dos maiores depósitos de terras raras em argila iônica do mundo. “Só a China que explora terra rara em argila iônica. Usa sulfato de amônia, um material caro, importado e delicado. Nós usamos sal de cozinha e reciclamos 100% do sal de cozinha com tecnologia desenvolvida aqui”, explicou. Aliás, o executivo também disse que a mineradora irá reciclar 100% da água que usar na mina.

FONTE: Jornal Opção

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *