Rachel Gonçalves Braga, Engenheira II na CSN Mineração

Meu nome é Rachel Gonçalves Braga, sou natural de Itabira, município conhecido como “cidade do ferro”, onde a extração do minério de ferro é um dos maiores meios de geração de empregos e de movimentação econômica. Minha paixão pela mineração iniciou-se na infância, por meio do meu pai, que hoje é aposentado e trabalhou a vida inteira em uma mina. Ao ver ele saindo de uniforme, o seu orgulho ao desenvolver o trabalho, algumas fotografias e passear nas áreas localizadas próximo às minas para ver toda aquela grandiosidade, foi gerado em mim um fascínio e uma grande vontade de fazer parte desse “mundo”.

Por conseguinte, me formei em Engenharia Civil em 2008 e possuo duas especializações, sendo uma em Geotecnia e a outra em Avaliação e Perícia de Engenharia. Trabalho na área de engenharia desde 2005, quando iniciei as atividades de estágio, o que, valiosamente, me possibilitou atuar em diversas esferas deste ramo. Para tanto, a mineração sempre foi a minha paixão, sempre tive o sonho de atuar nesta área.

O meu histórico profissional permeia por alguns projetos que foram essenciais para o meu desenvolvimento, tais como: estruturais; elétricos de baixa tensão; pilhas de estéril; estabilidade de taludes de cava e em áreas de risco urbanas; barragens; avaliação e perícias de engenharia, dentre outros, além de ter atuado como professora temporária do curso técnico de Edificações, Meio ambiente e para graduação em Engenharia Civil no CEFET-MG.

Atualmente, com a oportunidade de fazer parte da equipe de Geotecnia da CSN Mineração, ainda que isso tenha se iniciado recentemente, estou dando continuidade ao sonho de estar atuante na mineração. Nesse curto espaço de tempo, já superamos diversos desafios e sabemos que vêm muito mais pela frente. Estamos em constante desenvolvimento, dispostos a buscar melhorias em nossos processos e procedimentos para garantir a segurança de nossas estruturas. Não se pode omitir que as metodologias de trabalho da CSN demandam diversos estudos e interação com diferentes áreas na busca das melhores soluções para os rejeitos gerados no processo da mina, elevando com isso nossos conhecimentos técnicos, metodológicos e capacidade de ação.

Deixe uma resposta