Categorias

10 de maio de 2021

Dedicada à Redução de Custos na Mina e Planta

Pioneira em técnicas de estudos ambientais

3 min read

Ao completar 25 anos, a CLAM Meio Ambiente está em franco processo de expansão: no leque de serviços, no rol de clientes e nas localidades de atuação. A seguir, o sócio-diretor Leonardo Oliveira comenta sobre o desenvolvimento e o futuro da empresa:

“Na mineração, iniciamos nossas atividades com o desenvolvimento de estudos e projetos em recursos hídricos, com forte ênfase na implantação e operação de sistemas automatizados de monitoramento hídrico, área em que conquistamos grande reconhecimento pela entrega de soluções inovadoras, com excelentes resultados técnicos e de baixo custo. Fomos pioneiros no uso de diversas tecnologias como a utilização de transdutores autônomos,

o apontamento de dados de campo em tablets e armazenamento em nuvem, o uso de equipamentos ADCP para medição de vazão, por exemplo. Posteriormente, a empresa ampliou sua atuação para outros monitoramentos do Meio Físico, tais como de qualidade do ar, ruído e vibração. Também adquirimos bastante experiência na elaboração de balanços hídricos para empreendimentos. Hoje temos uma equipe de Meio Físico muito bem estruturada.

Posteriormente, passamos a oferecer serviços na área de Meio Biótico, como estudos, inventários e monitoramentos florísticos e faunísticos em diversos biomas do Brasil. Trouxemos para a empresa uma equipe de biólogos com bastante experiência no mercado e, também, buscamos desenvolver novos talentos.

O passo seguinte foi passar a coordenar a elaboração de Estudos de Impacto Ambiental e outros estudos afetos ao Licenciamento Ambiental, que já estavam presentes nos primórdios da empresa, mas num contexto diferente. Hoje, possuímos equipes multidisciplinares focadas no desenvolvimento de PCAs, RCAs e EIAs, bem como disponibilizamos equipe de profissionais dedicados ao licenciamento ambiental de barragens em vias de descaracterização.

Considero que tivemos uma evolução orgânica, baseada na construção da reputação de empresa que preza pela entrega de produtos de qualidade, nos prazos combinados e com custos muito atrativos. Creio que também ganhamos a confiança de nossos clientes por sermos capazes de absorver grandes demandas, que exigem muito esforço de mobilização, tanto de pessoas quanto de equipamentos. Contamos com mais de 300 colaboradores atualmente, 15 dos quais dedicados à Saúde e Segurança do Trabalho. São poucas as empresas do nosso ramo que têm essa condição.

Após o evento de Brumadinho, fomos acionados logo nas primeiras horas e, no dia seguinte, nossas equipes já estavam participando dos esforços de resgate e monitoramento de fauna aquática. Também fomos responsáveis por localizar e gerenciar um centro para abrigo de fauna. No meio antrópico, participamos do cadastramento de usuários de água no entorno da barragem de Três Marias. Nos recursos hídricos, fomos os responsáveis pelo monitoramento de vazões em toda a bacia do rio Paraopeba e no rio São Francisco. Essas atividades ainda continuam sendo desenvolvidas pela CLAM.

Pensando em crescimento geográfico, estamos presentes e crescendo de forma acelerada também na região Norte, mais especificamente na região de Carajás, onde desenvolvemos trabalhos desde 2013, no Projeto S11D. Hoje, estamos presentes também nas unidades do Salobo, Onça-Puma, Igarapé Bahia, Sossego, na Estrada Ferro-Carajás, além de outros projetos em desenvolvimento na região. Temos uma filial em Pa- rauapebas, com equipe gerencial e administrativa local. Queremos continuar aumentando nossa prestação de serviços lá porque reconhecemos o grande potencial de desenvolvimento mineral da região.

Para podermos crescer de forma sustentável e sem perda de qualidade dos serviços prestados, implementamos um projeto de Excelência Empresarial. Estruturamos e profissionalizamos nossas gerências Operacional, Comercial e Financeira. Estamos buscando a consolidação de nossa presença no setor de mineração, conquistando contratos cada vez mais robustos, e mirando em áreas que ainda podemos desbravar. Mas também estamos voltando nossos olhos para outros mercados, como o agro, óleo e gás, energia, celulose, entre outros”.

Leonardo Inácio de Oliveira é Engenheiro Civil e Mestre em Engenharia Ambiental

(UFMG), Ph.D. em Engenharia Ambiental (Universidade de Michigan)

e Sócio-Diretor da CLAM Meio Ambiente.

Deixe uma resposta