Movimentação cinco vezes maior no Porto do Pecém

O Porto do Pecém pretende elevar em cinco vezes a sua movimentação anual de contêineres em um prazo de dois anos, passando de 150 mil TEUs para 750 mil TEUs/ano. Essa é a expectativa gerada com a instalação do Terminal de Múltiplas Utilidades (TMUT), que teve a sua ordem de serviços assinada ontem pelo governador Cid Gomes. As obras terão início no dia 1º de dezembro e têm prazo de execução de dois anos. A construção do terminal, que terá um pátio sobre o mar com área de dez campos de futebol, irá gerar de 600 a 700 empregos diretos e cerca de 2.000 contando com os indiretos, de acordo com o que espera o diretor de Obras da Marquise – empresa que realizará a construção junto com a Ivaí Engenharia -, Renan Carvalho.

Mão-de-obra
Na próxima semana, será adquirida a licença de canteiro de obras, e após isso será iniciado o recrutamento da mão-de-obra, que, segundo Carvalho, será predominantemente local. A instalação do TMUT, que envolve investimentos de cerca de R$ 350 milhões, é a primeira fase de um projeto de ampliação do porto que contará com outras quatro fases, somando recursos de R$ 2,3 bi até 2016. A remodelação do porto será necessária para que o complexo portuário abrigue grandes empreendimentos, como a siderúrgica, a refinaria e novas térmicas, que vão elevar a produção de energia de 974 megawatts para 2254 megawatts até 2014.
“Nós queremos efetivamente consolidar a infra-estrutura que hoje é gargalo no Brasil inteiro, os grandes portos nacionais não têm mais para onde expandir, não tem área de retroporto, têm complicações de toda ordem, e a gente aqui tem grandes possibilidades de consolidar o nosso Estado como entreposto não só para as zonas de processamentos de exportação, e até inclusive fazer cabotagem. Os navios hoje estão ficando cada vez maiores e têm dificuldades para entrar em vários portos do Brasil. Eles podem chegar aqui, e daqui redistribuir em navios menores para os demais portos do Brasil”, analisou o governador do Estado, Cid Gomes.

Pesquisas
Para iniciar as obras, ainda vão ser realizados outros estudos de geotécnicos, explica o presidente da Cearáportos – empresa que administra o porto -, Erasmo Pitombeira. “Vão ser cavadas quase 700 estacas. Pode ser que sejam encontrados solos bons e outros ruins. Então, é possível que ocorram algumas surpresas que possam implicar em algum atraso”, destaca. Entretanto, segundo o diretor Comercial da Marquise, Aristarco Sobreiro, a construção deverá cumprir o seu prazo.

De acordo com o titular da Secretaria Estadual de Infra-estrutura, Adail Fontenele, a obra vai estimular os armadores que operam no Porto do Pecém, gerando uma ampliação de serviços oferecidos no terminal portuário. É também o que acredita a coordenadora da filial de Fortaleza da MSC – maior empresa armadora do mundo -, Raquel Bayma.

“O TMUT vai ser um ganho para a economia cearense. Ele vai atrair novos estudos para a criação de novas rotas marítimas para o mercado de contêineres em direção à Europa e aos Estados Unidos”, afirma.

O governador destacou que a próxima etapa de expansão do porto será a aquisição de equipamentos. “Os recursos já estão assegurados. Temos que fazer isso com urgência”, apontou Cid Gomes.

Recomendação
Em relação à requisição do Ministério Público Federal do Ceará para a suspenção das desapropriações no Porto do Pecém para garantir a área da siderúrgica e da refinaria, o governador não quis se posicionar. “Nós vamos nos informar do que é. Não tenho acesso à informação e não vou me pronunciar em cima de notícias. Eu vou ver o que é a recomendação. Vamos analisar e aí nos pronunciaremos oficialmente”, afirmou.

A recomendação do órgão federal tem como justificativa o fato de que as terras seriam ocupadas tradicionalmente pela tribo indígena Anacé.

Novo empreendimento
Empresários interessados em construir estaleiro no Ceará
O Estado do Ceará irá receber, na próxima semana, visita de empresários interessados em construir um estaleiro na costa cearense. A informação foi dada ontem pelo governador Cid Gomes, que preferiu não especificar o nome da empresa a qual os executivos pertencem.

O governo do Estado trabalha na perspectiva de trazer este empreendimento, e já apresenta como possibilidade a instalação de um estaleiro off shore (fora da costa) no Porto do Pecém, em uma área previamente definida.

“Dentro de um plano diretor para o porto há a reserva de um espaço para o estaleiro. Estamos apresentando isso como alternativa e temos mantido contatos com empreendedores nacionais. A Petrobras, através da Transpetro, tem o interesse em fortalecer essa área da indústria naval no Brasil e está fazendo diversas encomendas. Temos conversado com empresários que já têm tradição nessa área no Brasil, e também estamos conversando com empreendedores internacionais”, afirmou. Entretanto, o governador ressaltou: “eu não posso fazer anúncio de coisa que não é formal.
Formalmente, nós estamos conversando, e formalmente, nessa semana está vindo uma equipe, não vou dizer de qual empresa, pra conhecer a nossa área”.

O presidente da Agência de Desenvolvimento Econômico do Estado (Adece), Antônio Balhmann, informou que irá, no dia 2 de dezembro, realizar uma visita de prospecção de negócios na China e no Japão. Nesta viagem, ele deverá fazer uma visita a um grande estaleiro asiático, que também não definiu qual era.

Em abril último, Balhmann, juntamente com o governador, foram ao estaleiro de Daewoo, na Ásia, um dos maiores do mundo. Além do estaleiro, o presidente da Adece manterá contatos com empresas que fabricam painéis solares e outros componentes da indústria de energia solar, na perspectiva de trazer novos investimentos.


Fonte: Padrão

Deixe uma resposta