Mercado de diamantes apresentou queda em 2019, aponta relatório

Após um período de leve crescimento em 2017 e 2018, a indústria global de diamantes enfrentou dificuldades nos três primeiros trimestres de 2019. Embora as vendas em moeda local devam permanecer estáveis, a depreciação em relação ao dólar pode resultar em uma queda esperada de 2% nas vendas globais de diamantes neste ano, enquanto se aguarda os números finais de dezembro. Além disso, as vendas de diamantes brutos devem cair até 25%.

Essas são as principais conclusões do nono relatório anual sobre a indústria global de diamantes preparado pelo Centro Mundial de Diamantes da Antuérpia (AWDC) e pela Bain & Company. O declínio de curto prazo foi impulsionado por mudanças nos dois maiores mercados, Estados Unidos e China. A queda nas vendas no varejo é resultado da diminuição da confiança do consumidor e da incerteza geopolítica.

Segundo a Bain, apesar dos vários desafios de curto prazo, é esperado um resultado positivo para o mercado de diamantes nos próximos anos. Primeiro, porém, o setor precisa superar algumas incertezas em 2020, devido à contínua instabilidade geopolítica, fortes sinais de uma recessão iminente e pouco suporte de marketing, especialmente para joias sem marca e de marcas mais baixas. Por outro lado, o segmento de joias com diamantes de luxo com marca, responsável por cerca de 15% do mercado total, deve ter um bom desempenho, crescendo a um dígito alto – em linha com o crescimento de bens de luxo pessoais.

Embora o sentimento no mercado de diamantes brutos continue sendo de cautela, devido ao impacto do excesso de oferta de diamantes polidos e pela situação desafiadora no setor financeiro da Índia, os principais produtores fizeram esforços para estabilizar o fluxo, reduzindo a oferta e os preços. Todos os sinais apontam agora para o restabelecimento gradual de um equilíbrio no mercado no próximo ano.

[themoneytizer id=”24055-1″]

Deixe uma resposta