Categorias

23 de novembro de 2021

Largo Resources reposiciona marca e investe US$ 590 mi

A Largo Resources, mineradora canadense que produz vanádio, em Maracás, na Bahia, anuncia a conclusão de um processo de reposicionamento da marca para Largo Inc. O objetivo é refletir o crescimento e diversificação de negócios da companhia, a partir de um modelo verticalmente integrado com foco no desenvolvimento de tecnologia para armazenamento de energia limpa em baterias de longa duração.

Com a mudança de nome, a Largo formaliza seu foco no desenvolvimento em escala de tecnologia de armazenamento de energia ao lado da produção mineral de vanádio de alta qualidade, que serve como matéria-prima para diferentes aplicações industriais. A mudança da marca inclui atualização do seu site corporativo e a integração do seu negócio de mineração à Largo Clean Energy, subsidiária dedicada à montagem das baterias de fluxo de vanádio, nos Estados Unidos.

“Nosso anúncio hoje representa muito mais do que uma simples mudança de nome, é uma importante afirmação da nossa visão de sermos reconhecidos como uma organização que está contribuindo para a transição energética do planeta em direção a um futuro de baixo carbono”, afirma Ian Robertson, co-chair da Largo.

“Acreditamos que alavancar a força financeira e técnica de nossas operações de vanádio com nossa tecnologia superior de bateria de fluxo de vanádio apresentará uma oportunidade de mercado de maior valor para nossa empresa e criará uma vantagem competitiva única para a Largo no contexto de rápido crescimento no mercado de armazenamento de energia”, afirma o CEO da Largo, Paulo Misk.

Technical Report

Para suportar a estratégia do negócio no longo prazo, a Largo realizou um estudo de otimização abrangente para a Mina Maracás, com o objetivo de melhorar a eficácia da produção de vanádio prevista e prolongar a vida útil da mina. Os trabalhos de perfuração e engenharia realizados indicaram vida útil total de 20 anos da mina de Maracás, representando um aumento de 12 anos na vida útil em comparação com os parâmetros estabelecidos no relatório técnico da empresa de 2017.

Com base nos estudos, a Largo implementa um programa de investimentos na ordem de US$ 590 milhões, parte disso dedicado ao novo projeto de produção de pigmento de titânio (TiO2), que receberá investimentos já a partir de 2022. O projeto colocará a empresa em um novo negócio em mineração e, em paralelo, irá otimizar a atual produção de vanádio, uma vez que a produção de pigmento de titânio aproveitará o que era rejeito do beneficiamento de vanádio.

Outro projeto é de expansão da produção de V2O5 (vanádio de alta qualidade que serve como matéria-prima das baterias de fluxo de vanádio). A capacidade instalada de produção deverá aumentar para uma média aproximada de 15.900 toneladas por ano em 2032.

“Nosso plano de mina atualizado contempla uma abordagem de expansão em fases para incluir a produção de pigmento TiO2. Quando combinado com os resultados de nossa produção de vanádio existente, é previsto um fluxo de caixa livre significativo de mais de $ 4 bilhões de dólares ao longo da vida da mina de Maracás”, afirma Misk.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *