Eficiência energética com emprego de lubrificantes especiais

Substituição de óleo mineral por sintético proporcionou economia energética média provada de 4 %

Benefícios na utilização do óleo sintético em lugar do mineral

Um dos benefícios dos lubrificantes especiais é a melhora da performance de uma máquina que pode ser traduzida em economia, sustentabilidade e eficiência mecânica. A questão da mensuração dos resultados é fator importante na substituição do óleo convencional pelo sintético e algumas variáveis nem sempre são de fácil medição. Neste sentido, surgem algumas questões, como: Qual a economia de mão de obra? Qual a redução de despesas com peças de reposição e manutenção que pode ser atribuída à substituição do lubrificante convencional pelo especial? Qual o aumento da vida útil resultante no equipamento?
Irajá Ribeiro, gerente da área de Eficiência Energética e Sustentabilidade da Kluber

Para responder a essas questões, a empresa Kluber Lubrication trabalha com metodologias certificadas internacionalmente e ferramentas de medição para comprovar os benefícios da utilização dos seus lubrificantes especiais.

Há ainda outras questões levadas em consideração pelos gestores de uma planta na decisão de empregar um lubrificante especial. A certeza do benefício do produto existe quando todos os seus diferenciais são somados para, então, perceber-se que este ganho pode ser significativo, embora ainda não seja mensurado com a precisão com que todos os gestores gostariam. Dificilmente, a tomada de decisão leva em consideração apenas um dos fatores.

“Tecnicamente, todos os ganhos podem ser traduzidos usando apenas uma sentença: a redução significativa do atrito e do desgaste. Ao se empregar este conceito básico da lubrificação, é possível perceber que a redução do atrito existente nos componentes dos equipamentos tem como consequência o aumento da eficiência mecânica de uma máquina e, com isso, o resultado final é a redução do consumo de energia elétrica”, afirma Irajá Ribeiro, gerente da área de Eficiência Energética e Sustentabilidade da Kluber, departamento dedicado ao tema.

O foco da empresa é o de comprovar a economia de energia dos seus clientes com emprego de lubrificantes de alta performance. Para isso utiliza metodologias e instrumentos de medição desenvolvidos e patenteados por seus especialistas. Um dos exemplos foi na substituição de óleo mineral convencional por óleo sintético, que proporcionou uma economia energética média provada de 4 %.

Utilização de óleo sintético reduziu consumo energético em operação de calcário

Em termos percentuais, parece pouco quando comparado a outras soluções clássicas de eficiência energética, como a realização da substituição de motores ou lâmpadas. Mas, proporcionalmente, o custo na troca de óleo é muito mais baixo e traz retorno em menos de um ano.

Em redutores com motores acima de 50 CV, estes 4 % significam que cada litro de lubrificante da Klüber Lubrication pode gerar uma economia de 0,5 MWh por ano, ou cerca de R$ 130,00 (usando tarifa média de energia aplicada na indústria de R$ 260,00 / MWh), segundo a empresa. Esse benefício se estende a outras aplicações, tais como compressores de ar, bombas e os turbogeradores empregados em cogeração de energia.

Além do retorno financeiro ao cliente, já que a redução de consumo tem impacto na conta de energia elétrica, há ainda o fator sustentabilidade, pois a empresa contribui diretamente para a redução de 340 kg em emissões de carbono para cada MWh economizado. Sem contar o menor descarte de óleo, problema ambiental em pauta atualmente.

Ao multiplicar a potência de cada equipamento pela sua quantidade dentro de uma planta, pode-se calcular a economia de energia (e recursos financeiros) obtida com a troca.

Payback para a operação cimenteira foi de menos de um ano

Redutores de acionamentode moinhos e fornos

Fornos e moinhos têm uma grande importância estratégica nos processos produtivos da indústria de mineração e, dependendo do produto processado, são os que consomem a maior potência elétrica em uma planta, sendo comum encontrar alguns equipamentos que possuem motores elétricos com até pouco mais de 4 MW de potência. Nesses casos, qualquer percentual na redução de consumo de energia é altamente representativo.

Em um caso real em uma indústria de cimento, por exemplo, o consumo é mencionado em MWh/tonelada de cimento produzido, ou seja, a diminuição no consumo reflete diretamente no custo do produto.

Considerando um moinho acionado por um motorredutor planetário de 1,5 MW, descontada as paradas programadas pela planta, seja de aproximadamente 8.200 horas por ano e, ao custo de energia de R$ 260,00/MWh, é possível estimar que apenas este equipamento representa um custo operacional de R$ 3,12 milhões por ano em energia.

Trata-se de um redutor com reservatório de 1.000 l e a troca de óleo mineral ocorria a cada dois anos, requerendo uma parada programada de manutenção de cerca de 4 horas. Com a troca para o óleo da Klüber Lubrication base sintética, o período pode ser ampliado para cerca de dez anos.

Isso, de imediato, aumenta a disponibilidade do equipamento em cerca de 20 horas. Com o emprego da metodologia de mensuração e verificação da empresa, foram realizadas medições do consumo específico (KWh/t) desse equipamento com óleo mineral durante 60 dias. Depois, repetiu-se a medição com o óleo sintético da Klüber Lubrication – quando foi identificada a redução no consumo de energia em 3,9 %, ou R$ 121.000,00 por ano. Opay-backfoi bem menor que um ano.

Co
mo o óleo tem vida útil superior a uma década, o benefício total do cliente é de R$ 1,2 milhão apenas com a redução do consumo de energia, sem contar o aumento de disponibilidade do equipamento e a mão de obra reduzida na manutenção no período.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *