Caterpillar desenvolve carregadeira elétrica para mina subterrânea

Augusto Diniz – Green Valley, Arizona (Estados Unidos)

A Caterpillar apresentou em evento realizado à imprensa nos dias 8 e 9 de novembro, em seu Centro de Demonstração e Treinamento em Green Valley, no Arizona, Estados Unidos, projeto de veículo elétrico para mina subterrânea. A aplicação está sendo feita em uma nova geração de carregadeira.
De acordo com Susan Gaugush, gerente comercial da Caterpillar, o fato das minas subterrâneas ser cada vez mais profundas, com ambiente exigindo menos emissões de gases, impulsionam o equipamento movido a bateria.

Num teste que a marca norte-americana fez em uma mina no Canadá com uma carregadeira para uso em terreno subterrâneo, a utilização de bateria como fonte de propulsão, representou custo dez vezes menor do que o tradicional uso de óleo diesel.

A aplicação do veículo autônomo também tem crescido na mina subterrânea por conta do trabalho severo e profundo de escavação, incluindo altas temperaturas e necessidade de permanente ventilação.

A Cat também continua a ampliar seu portfólio de serviços de tecnologia de monitoramento, análise e controle remoto de frotas. Segundo a empresa, tem se aprofundado cada vez mais a interoperabilidade das aplicações nos equipamentos de mineração, com interfaces mais amplas ao usuário.

A crescente automação e implantação da indústria 4.0 nas plantas no setor de mineração e a aplicação de veículos autônomos na operação, exigirão tecnologias integradas em uma plataforma única de comando de equipamentos e máquinas.

[themoneytizer id=”24055-4″]

Veículos autônomos

No evento em seu centro, a Caterpillar informou que conta com mais de 100 caminhões off road autônomos em operação no mundo. Alguns deles, como já é de conhecimento do mercado, estão em teste na Mina Brucutu, da Vale, localizada em São Gonçalo do Rio Abaixo, em Minas Gerais.
Os veículos autônomos que estão sendo utilizados nesta planta é o 793F, com capacidade de 250 t, da Caterpillar. Ressalta-se, porém, que o caminhão off road de mineração da marca mais usado no País é o 797F (400 t de carga útil). Tanto o 793F como o 797F possuem acionamento mecânico.
[themoneytizer id=”24055-16″]

Nova sede

Em março, o novo prédio da Caterpillar em Tucson, com mais 150 mil m² e capacidade de receber cerca de 600 funcionários, deve ser entregue.

O Centro de Demonstração e Treinamento da Caterpillar em Green Valley fica próximo a Tucson e a cidade é usada como base para deslocamento ao complexo. A marca já possuía escritório em Tucson, mas o novo prédio, maior e com várias facilidades, dará a Caterpillar condições de desenvolver mais rapidamente seus projetos globais no setor de mineração, de acordo com a marca.
[themoneytizer id=”24055-19″]

Caminhões off road

Também no evento, a Caterpillar apresentou os caminhões off road para mineração 796 AC (360 t) e 798 AC (410 t). A novidade nos veículos é o desenvolvimento do acionamento elétrico.

Ambos caminhões devem chegar ao mercado no segundo trimestre do ano que vem. As mudanças verificadas no 798 AC proporcionou um veículo mais leve e compacto. Por conta disso, o equipamento passou a ter capacidade de carga útil 10 t a mais do que seu similar – o 797F de acionamento mecânico.

A marca ressalta os ganhos do 798 AC, como maior desempenho, economia de combustível, menos emissões de gases e aumento de produtividade. A empresa enfatizou a importância da integração de motores, componentes, sistemas e softwares para o desenvolvimento desse novo caminhão.

Destaca-se que a empresa já possuía caminhões off road com acionamento elétrico, como o 795F AC – agora substituído pelo 796 AC – e o 794 AC, mas os novos modelos melhoram consideravelmente a linha por conta de uma combinação de mudanças no design e os sistemas diversos que compõem os veículos.

Segundo a Caterpillar, a adoção do acionamento elétrico representa alteração significativa em veículos automotores, já que muda a sua plataforma estrutural, abrindo novas possibilidades tecnológicas.

Jeff Castlemann, New Product Introduction manager da Caterpillar, acredita que ambos sistemas de acionamento – elétrico e mecânico – devem seguir evoluindo juntos e a opção de uso deve ser determinada pelo usuário, pelo menos nos próximos anos.

Deixe uma resposta