AngloGold e as comunidades elegem juntas os projetos sociais

Mineradora responde por 15% dos postos de trabalho formais do municípiode Paracatu (MG)

Marcelo de Valécio

A história da AngloGold no Brasil remonta ao século XIX, quando a empresa de mineração inglesa Saint John Del Rey Mining Company deu início à exploração de ouro em Nova Lima, Minas Gerais. Mais de 170 anos depois, o patrimônio passou a ser controlado pela AngloGold, atualmente AngloGold Ashanti, após a fusão com a Ashanti Goldfields, em 2004. As operações brasileiras contribuem com 10% da produção mundial do grupo. No ano passado, a empresa registrou crescimento de 2,6% na produção de ouro no País.

O complexo mínero-metalúrgico da AngloGold Ashanti Brasil está situado na região do Quadrilátero Ferrífero de Minas Gerais, junto aos municípios de Nova Lima, Sabará e Santa Bárbara. Em Sabará, a empresa conta com as minas Cuiabá e Lamego; em Santa Bárbara, com a operação da Mina Córrego do Sítio; e em Nova Lima, onde se situam as instalações metalúrgicas da empresa, o Complexo Hidrelétrico Rio de Peixe, além dos escritórios administrativos. A companhia tem ainda uma unidade – Serra Grande –, em Crixás, Goiás.

Até a obtenção do ouro como produto final, as atividades de mineração e de tratamento do minério demandam cuidados especiais para minimizar os impactos ambientais e promover a conservação dos recursos naturais. Segundo a AngloGold, sua política de desenvolvimento sustentável alinha crescimento à geração de riqueza, redução dos impactos sociais e ambientais e promoção de melhorias socioeconômicas nas áreas onde estão suas operações. Atualmente, são desenvolvidos projetos de pesquisa, com foco em economia de energia, novas tecnologias para prospecção de minerais, redução de resíduos e de impacto ambiental e empreendedorismo e geração de trabalho e renda.

AngloGold mantém 873 hectares de área protegida, divididas em duas Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPNs): Mata Samuel de Paula, em Nova Lima; e a RPPN Cuiabá, localizada em Sabará. A empresa estuda a criação, em 2016, de duas outras RPPNs, uma em Santa Bárbara e outra em Raposos (ambas em Minas Gerais). De reserva legal contabiliza quase 50 quilômetros quadrados em Minas Gerais e Goiás.

Talentos de Ouro, um dos vários projetos desenvolvidos pela mineradora
 
 

Segundo a companhia, foram investidos em recuperação ambiental mais de R$ 2 milhões em 2015. O viveiro de mudas da empresa, que fica em Córrego do Sítio, tem capacidade de produzir 10 mil mudas por ano para revegetação. No total, já foram plantadas 340 mil mudas em Córrego do Sitio (Minas Gerais), desde 1992.

Em paralelo à atividade mineradora, a empresa realiza trabalhos de contenção, drenagem e revegetação para reabilitação das áreas de mineração a céu aberto (superfície), das pilhas de estéril (material retirado das minas sem valor comercial) e das áreas já mineradas.

Na área social, em 2015, a empresa investiu R$ 1,2 milhão de recursos próprios e R$ 6,8 milhões de recursos incentivados nas áreas de formação para o mercado de trabalho, geração de trabalho e renda, saúde e qualidade ambiental, esporte e cultura. Segundo a AngloGold, cerca de 10 mil pessoas, entre crianças, jovens e adultos das cidades nas quais a empresa tem atuação foram atendidas.

Um dos programas que a companhia criou é o Boa Vizinhança, que tem como objetivo manter o diálogo aberto e permanente com as comunidades. São realizadas reuniões com lideranças comunitárias dos bairros vizinhos às operações da empresa, levando assuntos de interesse da comunidade e da empresa para serem discutidos num fórum aberto. Como parte das ações de diálogo, a AngloGold compartilha o Jornal Boa Vizinhança, que tem periodicidade bimestral e aborda conteúdo de interesse comunitário, como resultados dos projetos sociais, ações de educação ambiental e investimentos da empresa na comunidade.

Uma das linhas de investimento social da AngloGold é a Chamada Pública de Projetos, que tem como objetivo conceder maior legitimidade, transparência e envolvimento da sociedade das decisões relativas ao investimento social da empresa. Todas as instituições privadas e sem fins lucrativos das cidades vizinhas às suas operações são estimuladas a apresentar projetos sociais com foco em cultura, formação para o mercado de trabalho, cultura e geração de trabalho e renda. O projetos passam por três fases de seleção sendo que a última conta com a participação de representantes das comunidades de origem para, junto com representantes da companhia, definir aqueles que serão apoiados. Em cinco edições, foram investidos cerca de R$ 4,5 milhões em 123 projetos, beneficiando diretamente mais de 20 mil pessoas.

Na área de saúde, a AngloGold Ashanti, em parceria com a Fundação Cristiano Varella, vai realizar em 2016 quatro mil exames de prevenção ao câncer nos seis municípios em que tem atuação direta. A Campanha Móvel de Diagnóstico Precoce e Controle do Câncer realiza exames gratuitos de mamografia, PSA e preventivo (Papanicolau) e tem como objetivo estimular a prevenção e reforçar a importância do diagnóstico precoce nos cânceres de mama, colo de útero e próstata.

Um consultório móvel (carreta equipada) ficará estacionado em praças, na região central das cidades. A expectativa é que, em média, sejam realizados cerca de 150 procedimentos por dia nas cidades de Raposos, Caeté, Nova Lima, Santa Bárbara, Sabará e Barão de Cocais. A campanha integra o Programa Nacional de Apoio à Atenção Oncológica (Pronon), criado pelo Ministério da Saúde para incentivar serviços desenvolvidos no campo da oncologia.

Fonte: Revista Minérios & Minerales

Deixe uma resposta