Utilização de tecnologia na garantia da qualidade de ensaios de laboratório e auxílio na redução de custo em obras

Com o passar do tempo o desenvolvimento da tecnologia vem auxiliando nos processos de gestão de informação, aumentando a continuidade, o controle e a compressibilidade de todo processo. A informatização da técnica procura não só contribuir com uma menor energia despendida no processo, mas também na eliminação da influência de fatores pessoais, com empenho e competência de um indivíduo por exemplo. Desta forma, os sistemas automatizados tornam-se mais rápidos, eficientes e baratos do que os tradicionais.

O Sistema de Gestão de Ensaios (SGE) é uma ferramenta desenvolvida pela Diefra Engenharia, cujo principal objetivo é gerir informações de mais de 50 tipos de ensaios laboratoriais de concreto, solos, asfalto e aço. Por este sistema é possível solicitar ensaios, acompanhar o status de andamento, ordenar prioridades e validar os resultados dos ensaios a qualquer momento via web ou mobile. Com esta gestão é possível registrar e armazenar em uma única plataforma as informações geradas na sua obra, garantindo a qualidade técnica e aumentando a produtividade das atividades.

Figura 1 – Fluxograma Sistema de Gestão de Ensaios

Um case de sucesso da utilização do SGE deu-se em 2019 na fiscalização do alteamento de uma barragem de rejeito. A barragem com mais de 2,5 km de extensão de crista gerou cerca de 2,8 milhões de metros cúbicos de movimentação de material no ano. Para as execução das camadas de aterro eram utilizados cerca de 100 equipamentos, entre caminhões, retroescavadeiras e tratores.

Para a liberação de lançamento da próxima camada de aterro é necessário a realização do ensaio de densidade in-situ pelo Método de Hilf, sendo que o tempo de resposta dado pelo laboratório era de aproximadamente 1h. Durante este tempo, alguns equipamentos ficavam parados aguardando a liberação da frente de serviço, sendo cobrada neste momento R$ 200,00 a hora de disponibilidade destes. Com a utilização do SGE, foi reduzido em 25 minutos este tempo de resposta. Conforme tabela 1 abaixo, a economia chegou aos R$ 528.000,00, pois em média a cada liberação de camada 30 equipamentos ficavam parados.

Tabela 1 – Estimativa de economia em um ano na redução de horas paradas de equipamentos durante o tempo de resposta dos ensaios de liberação de camada em aterro de barragem pelo Método de Hilf

Equipamentos paradosCusto total em 1h de paralisação (R$ 200,00/hora à disposição)Custo total em 1 ano (2 camadas/dia e 8 meses de execução/ano)Economia em 1 ano
unid.$/h$/ano$/ano
5R$ 1.000,00R$ 352.000,00R$ 88.000,00
10R$ 2.000,00R$ 704.000,00R$ 176.000,00
15R$ 3.000,00R$ 1.056.000,00R$ 264.000,00
20R$ 4.000,00R$ 1.408.000,00R$ 352.000,00
25R$ 5.000,00R$ 1.760.000,00R$ 440.000,00
30R$ 6.000,00R$ 2.112.000,00R$ 528.000,00
35R$ 7.000,00R$ 2.464.000,00R$ 616.000,00
40R$ 8.000,00R$ 2.816.000,00R$ 704.000,00
45R$ 9.000,00R$ 3.168.000,00R$ 792.000,00
50R$ 10.000,00R$ 3.520.000,00R$ 880.000,00

Portanto, o Sistema de Gestão de Ensaios é uma ferramenta imprescindível no âmbito técnico e econômico de uma obra. A utilização do SGE não só aumenta a confiabilidade da informação oriunda do laboratório, mas também auxilia na redução de gastos com horas de equipamentos à disposição, promovendo mais celeridade à obra.

Deixe uma resposta