Soluções Plug & Play aprimoram sistemas

Com o objetivo de incrementar a eficiência das informações de processo e aprimorar a integração das operações da mina ao porto, mineradoras da Austrália estão intensificando o uso de cabos de fibra óptica para comunicação. Neste cenário, cresce o uso de tecnologias de fibra óptica para a comunicação de dados, que envolvem o conceito end-to-end, ou seja, que atuam em todo o processo de implantação de um ambiente de TI e incluem cabos e conectores robustos que garantem, mesmo em ambientes severos, a operação de arquiteturas de controle de automação, como DCS/PLC.

De acordo com Boyd McDonald, diretor e fundador da australiana Datalek Systems & Electrical, como a Ethernet industrial, o cabo de fibra óptica surge como um meio de integração e controle, sendo cada vez mais importante para o gerenciamento da produção. “Este conceito de desempenho “da mina ao porto” é focado em controle e automação de processos”, afirma McDonald. “Envolve também o aumento da confiabilidade para redes, fornecendo a largura de banda necessária. Uma solução plug & play adequada também é importante porque minimiza o erro humano”, completa. O executivo ressalta que entre os fatores mais desafiadores que frequentemente ocorrem nas minas australianas, localizadas em áreas desérticas, são as altas temperaturas de superfície e as condições extremas de poeira. “No Outback a temperatura dentro da mina, ou de superfície, pode variar desde abaixo de zero até 60 0C ou mais. Esses extremos, somado a um monte de poeira, podem ser prejudiciais para a vida útil do cabo de distribuição e conectores” destaca McDonald.

Recentemente, a Datalek Systems & Electrical realizou a substituição dos cabos de uma mineradora de Queensland por uma solução plug & play, com o objetivo de melhorar o gerenciamento das operações e obter uma comunicação por fibra óptica. Na ocasião, a Optical Cable Corporation (OCC) forneceu um cabo de distribuição robusto com revestimento à prova de roedores para lidar com as difíceis condições meteorológicas e se prevenir de pequenos animais. Atualmente, a Datalek atua em um projeto de expansão e manutenção da arquitetura de comunicação da mina de carvão Clermont, também localizada na Austrália e pertencente a Rio Tinto.

Adicionalmente aos cabos ópticos, a arquitetura de comunicação exige a instalação de gabinete metálico com trilho DIN. Nestes gabinetes, fabricados em metal resistente, são montados vários componentes elétricos, como blocos de terminais, acionadores de motor, disjuntores, entre outros.

“Este tipo de gabinete é ideal para as aplicações de produção, ou seja, na automação industrial das empresas”, diz

Stephen Poarch, gerente de Desenvolvimento de Negócios da OCC.

“Hoje a indústria de mineração está substituindo os seus sistemas de comunicações específicos pelo protocolo de comunicação Ethernet por meio do uso do cabo de fibra óptica”, afirma Porach.

Ele explica ainda que o protocolo Ethernet permite que os dispositivos de vários fabricantes se comuniquem entre si. Além disso, o cabo de fibra óptica não causa faísca elétrica, o que o torna ideal para muitas aplicações de mineração. Ele acrescenta que a OCC desenvolveu uma nova linha de gabinetes DIN visando fornecer terminações seguras para uma ampla variedade de aplicações industriais, mesmo nas mais adversas condições ambientais.

Além de ter cabo de fibra óptica com uma proteção adequada, as operações em minas precisam ter conectores e adaptadores que possam suportar temperaturas extremas e muitos tipos de tensões, permitindo que os sistemas sejam executados e que os dados fluam independentemente da criticidade do ambiente.

A Datalek Sistemas e Elétrica é responsável pela concepção, instalação e manutenção de sistemas de comunicação por fibra óptica, incluindo aqueles que envolvem automação, segurança, controle de acesso para mina céu aberto e operações subterrâneas, bem como plantas de gás natural e carvão. Já a Optical Cable Corporation (OCC) atua na fabricação de cabos de fibra óptica e soluções de conectividade de comunicação de dados, projetados para mercados empresariais e soluções customizadas para usos especiais e em ambientes agressivos.

Fonte: Revista Minérios & Minerales

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *