Retomada das atividades da mineradora Samarco vai reabrir 130 empresas e gerar 5 mil vagas de emprego

Samarco recebeu licença ambiental e está liberada para retomar as atividades, que devem começar em 2020 e gerar cerca de 5 mil vagas de emprego no Espírito Santo

A volta da mineradora Samarco, no segundo semestre de 2020, deve criar 5 mil vagas de emprego. A empresa que ganhou o sinal verde para voltar operar, reacende entre as autoridades e a indústria o otimismo não só para novos empregos como encrementos para a arrecadação do Espírito Santo.

Além da volta das usinas da mineradora, também serão reabertas  130 empresas. Sendo, 30 prestadoras de serviços, incluindo indústrias, e 100 são estabelecimentos comerciais, segundo dados das federações do Comércio (Fecomércio-ES) e da Indústria (Findes) do Espírito Santo.

De acordo com José Lino Sepulcri, presidente da Fecomércio, 30% das empresas reabertas são da Grande Vitória, 30% em Guarapari e os outros 40% em Anchieta, Iconha e Cachoeiro de Itapemirim.

A estimativa com a retomada das atividades da mineradora Samarco é que sejam criados 5 mil empregos nessas empresas, sendo 500 diretos e 4.500 indiretos. De acordo com o comunicado feito pela mineradora, as atividades serão retomadas até  final de 2020e o reinício se dará com apenas 26% da capacidade produtiva.

Entres as empresas que estarão de volta estão, por exemplo, indústrias de metalmecânica, usinagem, estrutura, montagem e manutenção industrial e empresas de Tecnologia da Informação e transporte. Entre os estabelecimentos comerciais, vão ser reabertas lojas de ferramentas, material elétrico, chapas, material de construção, entre outras, segundo José Lino.

Dirceu Porto, secretário da Fazenda de Anchieta, informou que é perceptível que há muitos pontos comerciais fechados e queda no movimento dos que se mantiveram abertos: “Só com essa notícia, a cidade já respira mais tranquila.”

Já o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL ) do municipio, Vinicius Alcântara, explicou que a maioria dos comerciantes está trabalhando hoje com número de empregados reduzido.

empresa teve suas atividades paralisadas desde em 2015 por conta do desastre de Mariana, em Minas Gerais que deixou 19 mortos e destruiu o povoado de Bento Rodrigues, provocando estragos também no Norte capixaba, com graves danos à população à margem do Rio Doce.

A mineradora informou que deverá implementar um novo sistema de filtragem de rejeitos, que deve durar 12 meses a partir da obtenção da Licença de Operação Corretiva (LOC), que ocorreu no dia 25 de outubro. De acordo com Rodrigo Vilela, presidente da empresa, as novas tecnologias de filtragem aumentarão a segurança.

FONTE: CLICK PETRÓLEO E GÁS

[themoneytizer id=”24055-1″]

Deixe uma resposta