CSN Mineração investirá US$ 500 milhões em Congonhas (MG)

A CSN Mineração investirá cerca de US$ 500 milhões na construção de uma planta industrial para o processamento de itabirito no Complexo Casa de Pedra, em Congonhas (MG). A expectativa é que sejam geradas 1.300 vagas diretas na fase de instalação da planta e 900 durante a operação.

A implantação da unidade ocorrerá a parti r de 2020 em uma área de 862 mil m². A conclusão está prevista para 2022. No Complexo Casa de Pedra predomina hoje a extração de hematita.

Para ampliar os processos de lavra e beneficiamento, a empresa desenvolveu o projeto da planta que viabilizará a exploração do itabirito de baixo teor. A nova unidade terá capacidade de produção anual de 10 milhões de toneladas.

Em linhas gerais, a diferença da unidade industrial de beneficiamento de hematita e de itabirito consiste na instalação do processo de moagem para redução da granulometria do minério itabirítico, que proporcionará maior liberação de sílica presente no ROM e na flotação de grossos para aumentar a recuperação de ferro.

O circuito de britagem da nova planta é composto por um britador de mandíbulas na fase primária, dois cônicos na fase secundária e três britadores cônicos na etapa terciária. O ROM será transportado da lavra à britagem por meio de caminhões fora de estrada.

A extração do itabirito ocorrerá no complexo Casa de Pedra e as reservas atingem 2,7 bilhões t. A vida útil para as reservas atuais se estende até 2053, podendo se ampliar até 2120.

De acordo com a CSN, o teor médio de todos os itabiritos nas reservas é de 43%Fe, e o produto final fi cará em torno de 67%Fe.

O rejeito gerado nos processos produtivos da nova planta será filtrado e empilhado a seco, ou seja, não será necessário o uso de barragem. Serão instalados filtros-prensa para a desaguamento do rejeito, com capacidade de processamento de 11 milhões de t/ano.

O rejeito filtrado com umidade de 14% será disposto conjuntamente com o estéril na pilha existente.

Quando a unidade de processamento de itabirito entrar em operação, ela representará 25% da produção de Casa de Pedra. Para a CSN, a exploração do itabirito representa a maximização de suas reservas e traz melhor qualidade ao seu produto final.

A empresa pretende no futuro ter segunda unidade industrial de itabirito no complexo. A planta de hematita seguirá em operação normal até exaustão das reservas do mineral no fluxo econômico de produção, informa a CSN.

mina casa de pedra

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *