Solução amplia eficiência do sistema de peneiramento

 

Metodologia de abordagem otimiza funcionamento dos processos de peneiramento, diminuindo custos

Com o objetivo de atender às especificidades do setor de mineração, a Haver & Boecker Telas apresentou o Pro-Deck, uma abordagem consultiva que visa a aperfeiçoar a atividade de peneiramento, utilizando o equipamento ideal para cada fase do processo. A solução foi apresentada na palestra “Pro-deck: Solução inovadora para aumentar a produtividade, maximizar resultados e gerar economia”, proferida por Laís Andrade, Engenheira de Processo da Haver & Boecker Telas, durante o VII Workshop Redução de Custos na Mina e na Planta da revista Minérios & Minerales.

Para a identificação do melhor conjunto de telas para a planta, a empresa, em conjunto com o cliente, leva em consideração a qualidade granulométrica do minério, eficiência de peneiramento, produtividade, recuperação de massa (abertura ideal), rendimento operacional do equipamento (vida útil da tela, cegamento e entupimento), padronização (redução de número de itens) e ergonomia (sistema de encaixe).
O desenvolvimento do Pro-deck abrange as etapas de análise de vibração, inspeção física, inspeção do processo, recomendação dos meios peneirantes e implementação dos equipamentos.
A etapa de análise de vibração envolve as atividades de detecção de possíveis falhas e avaliação do desempenho do equipamento. Nessa etapa, a empresa utiliza um software próprio de análise de vibração, que monitora o comportamento dinâmico do equipamento nos três eixos cartesianos (x, y e z). “Com o programa conseguimos visualizar se o equipamento está com alguma torção, além de obter dados em relação à amplitude, rotação e frequência da peneira, ou seja, analisamos todos os critérios do seu processo de funcionamento”, afirma Laís.
Durante a inspeção física é feita a análise dos componentes chaves, como a temperatura dos rolamentos e interferência ou perdas de componentes. Durante essas duas etapas, a equipe conta com a expertise de outras empresas do grupo, como HBL, Haver Equipamentos e Haver Serviços.
Já a inspeção do processo engloba a revisão da área aberta do sistema de peneiramento, a redução de entupimentos e/ou cegamentos e a verificação da vida útil das telas. Ainda nessa etapa, é analisada a curva de distribuição, abrasividade do produto e alimentação do sistema.
Por fim, ocorrem as fases de definição e implantação dos meios peneirantes, de acordo com as necessidades específicas dos clientes identificadas nas etapas preliminares. Nesse sentido, a companhia fornece tecnologias que contemplam todas as fases do processo: escalpe, peneiramento, desaguamento e filtragem.
O programa Pro-deck foi aplicado em uma mineradora de nióbio, no qual resultou em ganhos de eficiência e operabilidade do sistema de peneiramento. Neste caso de sucesso, a empresa identificou que o seu cliente possuía alta incidência de entupimento e baixa resistência das telas do peneiramento, resultando em uma disponibilidade física de apenas 50%.
Após a caracterização dos gargalos, realizados pelas fases iniciais do Pro-deck, a Haver optou pela implantação de um tela de borracha no primeiro deck e telas de poliuretano no segundo e terceiros decks. Estas últimas visando a solucionar o problema de cegamento do equipamento. Além disso, as telas do segundo deck necessitavam de uma propriedade autolimpante, devido a granulometria muito baixa do material.
“No primeiro deck optamos por telas de borracha, reduzindo a malha de abertura de 35 para 30 mm, pois o britador estava trabalhando com folga, sendo necessário trabalhar com câmera cheia. No segundo e terceiro decks, trocamos as telas metálicas para de poliuretano (PU) em vista da maior abrasividade ao minério. Além disso, a tela de PU tem furos mais adequados para evitar o entupimento”, explica a engenheira.
As duas tecnologias aplicadas referem-se às telas ty-wire e flex-mate, esta última com propriedade autolimpante. As implementações geraram ganhos operacionais, aumentando a disponibilidade da planta e reduzindo as paradas para limpeza do equipamento em cerca de 70%. De acordo com a empresa, outros resultados estão sendo compilados e serão apresentados em breve.
Fonte: Revista Minérios & Minerales

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *