Prêmio de SST na mineração aborda tema sobre conservação auditiva

Disseminado nas mais diferentes atividades industriais, o ruído é um conhecido agente físico de risco aos trabalhadores dos tempos atuais. Além dele, a vibração, calor e substâncias químicas também podem provocar ao trabalhador a perda auditiva. A temática é uma das principais preocupações do Programa Especial de Segurança e Saúde Ocupacional na Mineração do Instituto Brasileiro de Mineração (IBRAM).

Prova disso é a criação da categoria “Conservação auditiva – demonstrar evolução médica” no Prêmio Melhores Práticas em Saúde e Segurança do Trabalho em 2018. A premiação pretende chamar atenção nesta edição para a prevenção e estabilização das perdas auditivas ocupacionais no setor mineral, além de mostrar a progresso nos tratamentos da doença.

“O ruído, ao atuar sobre o trabalhador pode alterar processos internos do organismo, com consequências fisiológicas e emocionais. Em 2018, pretendemos premiar aqueles que estão atentos e dar publicidade ao tema. É importante saber se o segmento mineral está em dia com esta prevenção, se há uma redução no número de perdas auditivas pelo ruído ocupacional e quais são as novidades que estão sendo adotadas”, afirma a coordenadora do Programa, Cláudia Pellegrinelli.

Para o médico do trabalho, especialista em Cirurgia Geral e Otorrinolaringologia, Davi Ribeiro dos Santos, as mineradoras possuem iniciativas de prevenção, mas ainda estão aquém do objetivo principal de se ter o controle eficaz deste risco ocupacional de lesão irreversível do sistema auditivo.

Para ele o prêmio possui grande importância, pois vai despertar a atenção de todos para esse tema. “A eficácia dos Programas de Conservação Auditiva (PCA) depende do compromisso permanente de gestores, especialistas e empregados, com a progressiva redução do ruído no ambiente de trabalho, por meio de metas, planos estratégicos e ações coordenadas.

Essa será mais uma chance de estimular aqueles que trabalham no setor para darem mais atenção a doença”, analisa.

Entre as empresas participantes desta categoria estão:

  • Anglo American com o case: Prevenir é o melhor remédio
  • ArcelorMittal Mineração Brasil com o case: Programa mais saúde

(PCA) – Programa de conservação auditiva

  • Ferro+Mineração com o case: Gestão do perfil clínico epidemiológico no PCA
  • Vale com o case: Promoção da saúde auditiva – um olhar além da normatização

A Classificação do finalistas será anunciada no dia 20 de novembro. A cerimônia de premiação ocorrerá no dia 4 de dezembro na sede da Federação das Indústrias de Minas Gerais (FIEMG), em Belo Horizonte (MG). Os primeiros colocados receberão troféus e terão seus cases divulgados no Portal da Mineração (www.portaldamineracao.com.br). O vencedor de cada categoria terá a oportunidade de apresentar o trabalho em painel específico de SST durante o 18º Congresso Brasileiro de Mineração (EXPOSIBRAM), que será realizado entre os dias 9 e 12 de setembro de 2019.

Notícias relacionadas

Brasil terá 1º hub de inovação para a indústria mi... A WeWork, uma das maiores redes de espaços de trabalho do mundo, anuncia a chegada ao Brasil de uma iniciativa pioneira para a indústria mineral. Com ...
Investimentos em mineração no Peru alcançam US$ 3,... Os investimentos em mineração no Peru atingiram US$ 3,2 bilhões no período de janeiro a setembro deste ano, um aumento de 28% em relação ao mesmo perí...
Cat apresenta caminhão off road com acionamento el... A Caterpillar apresentou nesta quinta (8/11), em seu Centro de Demonstração e Treinamento em Tucson, no Arizona, Estados Unidos, o caminhão off ro...
Case de transformação digital da mineração Paragom... O BABS 4.0 (Sistema de Gestão de Bauxita e Alumina, em português) - programa de transformação digital da Mineração Paragominas - foi premiado como...
0

Comentar