Mayara Barros é coordenadora de processos

“Eu sou a Mayara tenho trinta anos, sou mãe da Sara que tem dois anos e meio, e há oito anos tenho construído minha trajetória na área de mineração. Me formei em engenharia química pela UFSCar em 2011 e a partir desse mesmo ano iniciei minha carreira na mineração.

Incialmente como estagiária na Alcoa em Poços de Caldas e em seguida como trainee na Anglo American Fosfatos, tanto em Cubatão quanto em Catalão e Ouvidor. Nessas vivências eu tive o prazer de me apaixonar pela engenharia e de aprender com muitas pessoas e profissionais que me inspiraram a seguir a caminhada na mineração e a fazer o que era certo.

Há quase 4 anos aceitei o desafio de integrar o time da Vanádio de Maracás como coordenadora de produção e agora atuo como coordenadora de processos, vivenciando diversas situações que tem me permitido crescer e evoluir profissional e principalmente pessoalmente. Nesse período me tornei mãe, tenho me descoberto a cada novo dia e tenho aprendido a importância do equilíbrio e a aceitar a não perfeição.

Sou muito satisfeita com o caminho que venho seguindo, mas não romantizo sugerindo que qualquer dessas conquistas tenha sido algo fácil ou ainda que eu seja diferente das outras mulheres. Infelizmente as condições e oportunidades ainda são muito diferentes para nós, e ao longo da minha tive muita dificuldade em entender que era tratada diferente por ser mulher.

Passei e passo por várias crises de insegurança e autoestima, e ainda acho injusto que às vezes eu tenha que fazer a mais para conseguir meu espaço, mas a maturidade tem me trazido à luz que isso não pode acontecer por imposição, e às vezes eu erro e em outras eu acerto.

Para o futuro, eu espero que o cenário da mineração se equilibre, que a gente aprenda a entender melhor e a aceitar as mulheres no nosso meio, que estejamos cada vez mais presentes onde quer que desejemos estar, que disputemos igualitariamente pelas mesmas vagas e promoções, que sejamos respeitadas, que possamos ser lindas e inteligentes e competentes e que isso não seja um problema ou algo contestável.

Eu espero que nós mulheres nos conheçamos mais, que saibamos do nosso valor, que tenhamos mais oportunidade de estudar, de sair pra trabalhar, de podermos equilibrar família e trabalho, de podermos amamentar nossos filhos e que essa nossa ausência temporária não seja um fator preponderante para não termos a oportunidade de ter o trabalho. Eu espero que sejamos a mudança que tanto almejamos e precisamos e espero poder contribuir para o meu ambiente da melhor maneira possível.”

Mayara Barros

Coordenadora de Processos | Process Coordinator

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *