Gestão e tecnologia com foco na prevenção de acidentes

A equipe de Saúde de Segurança do Trabalho (SST) da ArcelorMittal Mineração Brasil, como em qualquer outra organização, possui diversos indicadores que ajudam a nortear as demais equipes quanto às principais causas de acidentes, os principais locais com condições inseguras e com práticas inseguras.

No entanto, parte destes indicadores era comprometida por serem controlados pura e simplesmente por planilhas eletrônicas, e que devido ao grande volume de entrada de dados ficava vulnerável a erros como lançamentos incorretos, divergentes ou de digitação.
Baseado nestas dificuldades foi iniciado uma busca por tecnologias de gestão, mas que fossem voltadas exclusivamente para atender a demanda de saúde e segurança, e não sistemas adaptados para isso, o que é o mais comum no mercado.
A intenção era garantir a disponibilidade da informação, conhecimento do problema, velocidade e assertividade para que as tomadas de decisões e gestão de riscos fossem as melhores possíveis. Tudo isso com foco no fortalecimento da cultura de segurança, na busca da redução/eliminação do tempo quantitativo e
aumento do tempo qualitativo.
Com base nas informações e controles começou-se a desenvolver o Sistema Integrado de Controle de Operações no padrão em que a equipe precisava e gerando todos os controles e indicadores até então necessários. Inicialmente, o sistema foi preparado e desenvolvido de forma modular, a fim de atender às necessidades mais urgentes da maneira mais otimizada possível.
O objetivo da equipe era exatamente proporcionar de forma prática o envolvimento das áreas na rotina operacional da equipe técnica de SST, focando sempre na prevenção. Para isso toda a equipe participou da customização e implantação da ferramenta junto às equipes, proporcionando um significativo aumento da velocidade e da qualidade das informações que chegam a todos os gestores de áreas.
O Sistema Integrado de Controle de Operações hoje atua na transformação das informações em poderosas análises críticas da gestão de riscos, promovendo sempre uma visão operacional e gerencial assim que os dados são inseridos.
O sistema conta com uma coleta de dados prática e uma análise sistêmica dos processos, facilitando as tomadas de decisões e proporcionando uma linguagem única, capaz de promover a integração entre diversas áreas e os gestores, em prol do fortalecimento da cultura de segurança dentro da organização.

INTRODUÇÃO

Na ArcelorMittal Mineração Brasil, segurança é valor e seu conceito já está inserido na cultura da organização. Além dos treinamentos, que são realizados regularmente, e dos programas e procedimentos já existentes, a equipe do setor de Segurança do Trabalho procura desenvolver novos meios de obter melhores resultados, para garantir um ambiente sem riscos e mais saudável.

DETALHAMENTO

Para cada gestor de área e seus respectivos facilitadores foi criado um usuário e uma senha, onde é possível verificar em tempo real as ações de sua gerência e tratá-las no âmbito de sua responsabilidade. Todas as ações dentro do sistema são registradas em nome do usuário que acessou. Não está disponível nenhum

Campanha baseada em apuração em campo

recurso que permita a exclusão de acessos, registros, responsáveis ou alteração de datas e prazos. Para cada etapa e necessidades identificadas nas atividades foram criados módulos para atendimento ao principal objetivo do projeto: sair de controles de planilhas eletrônicas factíveis aos erros e desenvolver uma ferramenta de controle de ações mais visíveis e de fácil tratativa.
Como os dados originam-se de entradas diferentes, foi necessária a criação de três módulos: – Comportamentos e desvios: Neste módulo são lançadas todas as auditorias comportamentais (chão de fábrica) realizadas via formulário ou tablet.
– Inspeções e auditorias: Todas as ações levantadas nas inspeções e auditorias realizadas na unidade são lançadas neste módulo. Os formulários de auditorias e inspeções são enviados para os tablets, sendo necessário acesso à internet. Logo, o profissional de SST está liberado para iniciar sua inspeção ou auditoria. Para a inspeção não é mandatório o acesso à internet, o que se faz necessário somente no momento do envio da inspeção.
– Planos: Neste módulo concentram-se todas as ações relacionadas à saúde e segurança, independente da origem, e também são lançadas os quase-acidentes e as condições inseguras que são informadas pelos empregados através do bloco de comunicação. Para cada setor foi criado um plano de ação, onde estes planos são divididos por origens (auditorias, inspeções, quase-acidente). Foi possível em cada plano criar equipes com os responsáveis em tratar a ação.
Todas as informações geradas através das inspeções, relatos de condição insegura, auditorias de campo
e comportamentais são lançadas no sistema pela equipe de saúde e segurança ou pelos facilitadores de
cada área. Para estes lançamentos é necessário apenas que o empregado autorizado tenha a sua disposição um computador com acesso a internet.
Em todos os lançamentos no sistema é necessário que as informações sejam descritas de forma detalhada
informando área, data, horário, ação a ser realizada, responsável e prazo para solução. Ao término do lançamento e de forma online, os responsáveis dos planos e das ações destes planos, recebem no e-mail previamente cadastrado, um alerta sobre a ação inserida no sistema para ele.
Ao acessar o sistema os gestores e facilitadores das áreas conseguem identificar as ações, os responsáveis e o “status” de cada uma (concluídas, atrasadas, recusadas, não iniciadas, em andamento). Os gestores e facilitadores neste mesmo módulo também devem inserir as tratativas de cada ação, podendo estas ser inseridas como documentos em textos, listas, fotos e imagens.
Os indicadores gerados de cada unidade podem ser filtrados por gerência, setores, origens, períodos, cadastros, planos etc. Em todo o tempo e de forma online o gestor da área terá todos os indicadores e relatórios necessários disponíveis para as tomadas de decisão com mais clareza e objetividade.
O desenvolvimento do sistema permitiu aos gestores acompanharem os resultados das coletas diárias, que são traduzidas e organizadas em indicadores para que as áreas possam tomar as decisões. Com o sistema é possível, por exemplo, identificar qual o principal desvio de determinada área e, com isso, promover as devidas campanhas, revisões de procedimentos, padrões e processos de forma preventiva.
O tempo que se investia para produzir os relatórios e indicadores para as tomadas de decisões foi otimizado e substituído pelas análises junto às equipes; ou seja, os itens de coleta, cadastro, geração de indicadores, preparação de relatório e envio para as gerências atuarem demandavam um tempo significativo da equipe de saúde e segurança, e com a implantação do sistema se resumiram em coletas e o restante em análise qualitativa, pois o sistema gerencia, gera os indicadores e ainda faz os devidos envios aos envolvidos.
Atualmente todas as campanhas de segurança são elaboradas após análise dos principais desvios apurados e registrados no sistema o qual é alimentado pelas auditorias comportamentais de “chão de fábrica”, inspeções e/ou auditorias.
CONCLUSÃO
A partir da implantação desse novo sistema de gestão, a equipe de saúde e segurança ganhou um tempo considerável em sua rotina, uma vez que tem em mãos e em tempo real os principais indicadores sempre atualizados para reportar e/ou tomar qualquer ação que se fizer necessária.
Principais ganhos do projeto: qualidade e rapidez na geração de relatórios e repasse das informações; rastreabilidade das informações; indicadores em tempo real no formato necessário sendo local, regional ou corporativo; envolvimento dos gestores e facilitadores quanto aos indicadores; facilidade de identificar os principais desvios comportamentais para elaboração de campanhas; geração de gráficos dinâmicos e com filtros diversos; geração de relatórios em diversos formatos, inclusive fotográficos; informe aos responsáveis dos planos e das ações através de alertas customizáveis enviados automaticamente pelo sistema; maior disponibilidade da equipe de saúde e segurança com o aumento do tempo qualitativo e redução do tempo quantitativo; elaboração de propostas de melhorias do processo juntamente com as lideranças baseadas nas estatísticas do sistema; otimização dos prazos de entrega da equipe; uso de dados estatísticos pelas gerências em tempo real; melhoria dos processos da empresa com base no apontamento e controle das não conformidades identificadas; e acesso imediato dos gestores aos indicadores da área atualizados sem a necessidade de intervenção ou solicitação à equipe de saúde e segurança.
*Christiano José Ferreira é engenheiro de segurança do trabalho na ArcelorMittal Mineração Brasil; Juliano Dalla Rosa ocupa o cargo de gerente de saúde e segurança do trabalho na ArcelorMittal Mineração Brasil; Marcelo Librelon Rocha é engenheiro de segurança do trabalho na ArcelorMittal Mineração Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *