Blog

AngloGold Ashanti investe R$ 13 mi em tecnologia

A mineradora AngloGold Ashanti aplicou R$ 13 milhões em tecnologia e inovação em sua unidade de Córrego do Sítio, em Santa Bárbara (MG). Um dos principais investimentos é no projeto Ore Sorting, com a adoção de um equipamento capaz de pré-concentrar o minério logo nos estágios iniciais do processo de beneficiamento.

Dessa forma, o minério chega à planta metalúrgica com teor mais alto e em menor volume. O princípio básico do equipamento é identificar os minerais mais densos contidos nas partículas de rocha

Além de tornar o trabalho mais produtivo, entregando à planta de metalurgia o minério mais concentrado, o Ore Sorting minimiza os resíduos destinados à barragem, já que eles são encaminhados à pilha de estéril logo no início do processo.

Este projeto ainda está em fase de testes com resultados promissores, mas de acordo com Camilo Farace, presidente da AngloGlod Ashanti Brasil, a tecnologia deve ser incorporada em definitivo ao processo no ano que vem.

Segundo Camilo, a mineradora tem mantido projetos greenfield e brownfield no Brasil. Os projetos greenfield incluem um no Maranhão, inclusive já com as sondagens Projeto iniciadas, e outro em Goiás. “Vislumbramos crescimento futuro”, diz.

A AngloGold Ashanti opera minas no Quadrilátero Ferrífero em Minas Gerais e também em Crixás (GO). A produção da empresa é de 18 t/ano de ouro.

Ativos existentes e depósitos geológicos atrativos explicam investimento no Brasil, ressalta Camilo. “Pensamos no crescimento orgânico. A empresa irá continuar com foco no aumento da produção”, diz.

Na mina Cuiabá-Lamego a mineradora está desenvolvendo prospecção a 2 mil m de profundidade – ela já opera a 1.300 m, maior profundidade de exploração mineral no País.

No campo dos projetos socioambientais, a AngloGold Ashanti desenvolve o programa Parcerias Sustentáveis. A iniciativa seleciona projetos sociais para receber incentivos financeiros. Entre os objetivos da ação estão o fomento ao empreendedorismo sustentável nas comunidades, a ampliação do apoio social e o fortalecimento da imagem da empresa.

Em seis edições, foram 168 instituições locais apoiadas, em um investimento de mais de R$ 6 milhões, beneficiando diretamente mais de 21 mil pessoas. São seis municípios mineiros e um goiano (Crixás) atendidos pelo programa.

0

Comentar