Dedicada à Redução de Custos, Aumento de Produtividade e Manutenção Industrial na Mina e na Planta
Dedicated to Cost Reduction, Productivity, Industrial Maintenance at the Mine and Plant
Youtube
Twitter
Flickr
Youtube
Contact
 
Utilização de rejeito de minérios de ferro na fabricação de pisos intertravados
Criada em 1955, a Vallourec unidade Mineração surgiu para suprir as necessidades de abastecimento de minério de ferro da Vallourec unidade Tubos (Barreiro). Localizada na Serra da Moeda, em Brumadinho (MG), a Vallourec unidade Mineração gera cerca de 650 empregos diretos e indiretos. A empresa tem capacidade de processar aproximadamente 6 milhões de t/ano de minério de ferro bruto.
 
 
Além do abastecimento de minério de ferro para as usinas do grupo Vallourec, a unidade Mineração também trabalha para atender com qualidade e garantir a satisfação de uma carteira de clientes dos setores siderúrgico, guseiro e de ferro-liga, e outras mineradoras com foco em exportação.
 
O impacto ambiental ocasionado pela geração de rejeitos de mineração e o risco potencial de acidentes de uma barragem motivaram reflexões a respeito de soluções para essas questões. A partir disso, a Vallourec unidade Mineração desenvolveu várias práticas para deixar de destinar rejeitos à sua barragem. Uma delas consiste em utilizar o rejeito em substituição à areia no processo de fabricação de pisos intertravados. Assim, a empresa instalou na mina Pau Branco uma estrutura para fabricação desses pisos, onde são produzidos cerca de 500 m² por mês.
 
 
Essa prática reduz a utilização de areia, que é extraída dos leitos de rios, reutiliza uma parcela do rejeito da barragem e também impede que essa estrutura receba mais desse material, fomentando o projeto da Vallourec unidade Mineração de acabar, futuramente, com a barragem de rejeito.
 
 
Essa iniciativa visa também a pavimentação das vias da mina, auxiliando na redução da poeira gerada pelo tráfego de caminhões e carros, e prevê a utilização do material em outros locais, como nas comunidades de atuação da empresa.JUSTIFICATIVA
 
 
O grupo Vallourec foca na busca constante pela eficiência no uso de recursos naturais, no aprimoramento de técnicas que minimizem os impactos sobre o meio ambiente e em práticas que fortaleçam o engajamento com partes interessadas e que contribuam para a segurança de seus colaboradores. Esses compromissos estão descritos no documento oficial da empresa chamado de Carta do Desenvolvimento Sustentável.
 
 
É importante ressaltar também que a Vallourec unidade Mineração opera de acordo com o Sistema Integrado de Gestão, auditado conforme os parâmetros da ISO 14.001. Diante disso, a Vallourec unidade Mineração busca novas oportunidades de aproveitamento/reutilização do rejeito gerado no processo produtivo. Além do impacto ambiental e das barragens de rejeito representarem riscos potenciais de acidentes, a necessidade de dar uma destinação nobre a um material que representa um passivo ambiental justificou o desenvolvimento do projeto “Utilização de rejeito de minério de ferro na fabricação de pisos intertravados”.
 
 
A ideia surgiu no segundo semestre de 2015 e foi viabilizada coma realização de diversos testes em laboratório a partir de uma parceria com o CEFET-MG. Inicialmente foram feitos corpos de prova seguindo a norma ABNT NBR 5738 - Concreto - Procedimento para moldagem e cura de corpos de prova. Depois os corpos de prova passaram por testes de resistência à compressão segundo a Norma Brasileira ABNT NBR 5739 - Concreto - Ensaio de Compressão de Corpos de Prova Cilíndricos, até que se chegasse ao traço de concreto ideal que alcançasse a resistência pré-definida.
 
 
Posteriormente, foi montado um local com equipamentos para produção de pisos intertravados na mina Pau Branco para o aproveitamento do rejeito de minério de ferro. Também no local, foi iniciadaprodução de meios-fios e alas de contenção, totalizando um reaproveitamento mensal de cerca de 60 t de rejeito.
Outra questão é a busca constante pelo bom relacionamento com as comunidades do entorno da empresa, que incluem Alphaville, Piedade do Paraopeba, Aranha, Palhano, Suzana e Casa Branca. Os bloquetes
podem ser doados para essas comunidades contribuindo com a infraestrutura desses locais. Uma primeira iniciativa já foi realizada, em junho de 2016, com a doação de pisos e meios-fios ao Alphaville, para a pavimentação de uma área de coleta seletiva.
 
 
METODOLOGIA
 
O projeto “Utilização de rejeito de minério de ferro na fabricação de pisos intertravados” está sendo desenvolvido desde outubro de 2015. Com relação às metas de qualidade estabelecidas para produção,
considera-se a norma ABNT NBR 9781 – Peças de concreto para pavimentação – Especificação e métodos de ensaio – que preconiza a resistência de 35 MPa para os blocos. Para garantir que a meta está sendo
alcançada, a Vallourec realiza, mensalmente, em uma empresa terceirizada o teste de resistência à compressão. São coletados aleatoriamente amostras de produtos para a realização desse teste e, caso os
resultados não sejam satisfatórios, são realizadas alterações no traço (proporção de cada material usado), até que se alcance a resistência determinada. Esse acompanhamento é muito importante visto que
até questões climáticas podem influenciar na qualidade dos produtos. A norma ABNT NBR 9781 – Peças de concreto para pavimentação – Especificação e métodos de ensaio – estabelece os requisitos e métodos de ensaio exigíveis para a aceitação de peças de concreto para a pavimentação intertravada sujeita ao tráfico de pedestres, de veículos dotados de pneumáticos e áreas de armazenamento de produtos. Ela determina que a peça deva apresentar resistência característica à compressão em 28 dias de “cura”. Caso o lote seja usado antes desse prazo, deve-se garantir que pelo menos 80% dessa resistência seja alcançada.
 
 
Conforme citado anteriormente, a meta de qualidade trabalhada na prática é de manter a resistência à compreensão no valor de, no mínimo, 35 MPa. Para avaliar esse indicador, são realizados, periodicamente,
testes de resistência em empresas terceirizadas.
 
 
As peças de concreto constituintes do lote são inspecionadas visualmente por empregados da empresa, objetivando a identificação daquelas com defeitos que possam vir a prejudicar o assentamento, o desempenho estrutural ou a estética do pavimento. As peças devem apresentar aspecto homogêneo, arestas regulares e ângulos retos e devem ser livres de rebarbas, defeitos e descamações. Caso tenha algum produto defeituoso, o mesmo é retirado do lote e utilizado na confecção de alas de contenção, também produzidas com rejeito.
 
 
Além disso, está sendo feito um acompanhamento periódico com inspeções visuais nos locais onde os pisos e meios-fios forem instalados.
 
 
Segundo a norma, pequenas variações de coloração nas peças em virtude do processo de fabricação e da variação das matérias-primas são admitidas.
 
 
Os pisos intertravados e meios-fios podem ser utilizados na pavimentação de vias para tráfego de pedestres e veículos. Já as alas de contenção podem ser utilizadas para sinalização de vias de trânsito, por exemplo, para delimitar as faixas e áreas.
 
 
O ponto forte do projeto é utilizar o rejeito de barragem nos produtos, de maneira a diminuir os impactos ambientais e os riscos inerentes à barragens, reforçando que a Vallourec é uma empresa que mantém uma cultura de sustentabilidade. Para a empresa está sendo um grande desafio desenvolver uma solução para o rejeito gerado pelo processo em uma prática ambientalmente correta.


terça-feira, 16 de maio de 2017
Fonte: Revista Minérios & Minerales
Publicidade
  • newsletter MM
  • Boart Long Year
  • JLG
  • Voestalpine
  • JLG
  • Banner Esco
  • Mineiração
  • britanite
  • Tecnologia do Concreto
  • MSA
  • IM Mining
  • martin
  • VIII Workshop
  • Sandivk
  • Tega
  • banner da Osisoft
  • contato internacional
  • JLG
A republicação e divulgação de conteúdos públicos são permitidas, desde que citados fonte, título e autor. No caso dos conteúdos restritos, não é permitida a utilização sem autorização do responsável. É totalmente livre a citação da URL do Portal (http//www.revistaminerios.com.br) em sítios e páginas de terceiros.
© 2017 - Revista Minerios - Todos os direitos reservados.
L2 Comunicação e Tecnologia