Dedicada à Redução de Custos, Aumento de Produtividade e Manutenção Industrial na Mina e na Planta
Dedicated to Cost Reduction, Productivity, Industrial Maintenance at the Mine and Plant
Youtube
Twitter
Flickr
Youtube
Contact
 
Eficiência energética cresce com o emprego de lubrificantes sintéticos especiais
*Irajá Bernardino Ribeiro Junior;
Francesco Lanzillotta; Luiz Crestana; e Rafael Camalli
 
Este trabalho visa mostrar por meio de situações reais feitas em equipamentos da área de siderurgia e mineração, que há ocorrência de economia de energia com a substituição dos óleos minerais, atualmente muito utilizados na indústria na maioria das aplicações, por óleos sintéticos especiais. Comprovando a viabilidade financeira do emprego desta solução, bem como benefícios mecânicos resultantes do melhor desempenho, torna-se viável fazer esta ação de melhoria operacional e mecânica, com o argumento adicional de eficiência energética.
 
Toda ação de eficiência energética somente pode ser comprovada por sólida ação de medição e verificação,
apresentando dados de primeira medição do consumo de energia nos equipamentos previamente selecionados, lubrificados com óleo mineral, por um período que seja suficiente para se avaliar e aceitar como comportamento recorrente da máquina. Após este período, realiza-se a troca de todo o óleo mineral contido nos respectivos equipamentos e substitui-se pelo óleo sintético, realizando- se na sequência nova medição, para que com isto faça- se a comparação.
 
O argumento teórico é o de que um lubrificante sintético de alta performance da Klüber Lubrication, aumenta
a capacidade sustentadora de cargas e a eficiência de uma máquina ou de um conjunto de engrenagens, devido ao menor coeficiente de atrito entre as partes móveis.
 
Justamente devido ao menor coeficiente de atrito que chega a ser menos do que a metade daquele dos óleos minerais convencionais, o lubrificante sintético de bases PAO (polialfaolefina) e PG (poliglicol) têm a capacidade de aumentar a eficiência mecânica, o que teoricamente resulta em um menor consumo de energia.
 
Para a comprovação deste argumento teórico foram feitas medições, adotando o método de Protocolo Internacional de Medição e Verificação (PIMVP EVO 10000– 1:2007 BR) amplamente reconhecido pelos principais organismos nacionais e internacionais.
 
A maior motivação para este estudo e a sugestão da aplicação desta proposta é o fato de que segundo estudo da ANEEL, pesquisa PPH 2014, na média cerca de 60% do consumo de eletricidade da indústria são provenientes de equipamentos motrizes.
 
Por equipamento motriz industrial podemos considerar os compressores de ar, máquinas movimentadas
por moto-redutores e bombas como os principais consumidores e os de uso mais difundido e usual nos
maquinários de processo industrial. Em todos estes equipamentos é exigida a aplicação de lubrificantes e, com isto, seguindo o conceito de substituir lubrificantes com base mineral nestes equipamentos, pode-se obter redução de consumo de pelo menos 4%.
 
MATERIAIS E MÉTODOS
 
As medições para determinação das variáveis envolvidas na quantificação dos resultados foram realizadas
diretamente no equipamento selecionado. Além das medições referentes à energia consumida, foi levada em
consideração a produção do equipamento para determinação do consumo específico (KWh/t).
 
É imprescindível considerar que existem outras variáveis com forte influência no consumo energético,
tais como condições de processo de produção ou intervenções elétricas e mecânicas.
 
Para exatidão na comparação, é necessário que todas estas variáveis e condições sejam as mesmas nos períodos baseline (medição inicial com lubrificante óleo mineral) e post retrofit (medição posterior com lubrificante sintético Klüber Lubrication). O limite de medição para determinação dos resultados é restrito ao equipamento de força motriz envolvido, através da medição contínua da energia consumida pelo mesmo, da produção do equipamento e das outras variáveis de influência.
 
 
Para conferir esta matéria na íntegra, clique aqui 


Publicidade
  • newsletter MM
  • Boart Long Year
  • JLG
  • Voestalpine
  • JLG
  • Banner Esco
  • Mineiração
  • britanite
  • Tecnologia do Concreto
  • MSA
  • IM Mining
  • martin
  • VIII Workshop
  • Sandivk
  • Tega
  • banner da Osisoft
  • contato internacional
  • JLG
A republicação e divulgação de conteúdos públicos são permitidas, desde que citados fonte, título e autor. No caso dos conteúdos restritos, não é permitida a utilização sem autorização do responsável. É totalmente livre a citação da URL do Portal (http//www.revistaminerios.com.br) em sítios e páginas de terceiros.
© 2017 - Revista Minerios - Todos os direitos reservados.
L2 Comunicação e Tecnologia